Empresário Sérgio Nahas é condenado a 7 anos de prisão por morte da mulher

A acusação alega que Fernanda Orfali foi morta depois que ela descobriu relação do marido com travestis

O empresário Sérgio Nahas foi condenado a sete anos de prisão em regime semiaberto pelo assassinato de sua mulher, Fernanda Orfali. O crime aconteceu em 2002. Ele poderá recorrer da decisão em liberdade.

O promotor Romeu Galiano Zanelli Junior diz que apesar de ter sido denunciado por homicídio qualificado, o que poderia agravar a pena, Nahas foi julgado por homicídio simples. “Tribunais superiores já tinham afastado as qualificadoras do crime de homicídio. Então, ele não poderia ter sido julgado com base nisso”, disse em entrevista ao G1. 

O crime

Fernanda e Sérgio se casaram em março de 2002 na Igreja Ortodoxa da Vila Mariana, zona sul de São Paulo. Ela morreu em 14 de setembro do mesmo ano, anso 28 anos de idade, no apartamento onde o casal morava, em Higienópolis.

A acusação sustenta que Nahas matou a esposa com um tiro porque se sentia ameaçado. Ela teria descoberto que ele a traía e usava drogas, fornecidas por travestis. O empresário ficou preso por 37 dias durante o tempo em que aguardou o julgamento, que se arrastou por 16 anos.

Na versão da defesa, diários escritos pela moça indicavam que ela desejava cometer suicídio. A Polícia Científica, no entanto, não encontrou vestígios de pólvora nas mãos dela.

+ Atriz esconde câmeras no quarto para provar agressões do marido

+ Homem esfaqueia esposa e se suicida com filha recém-nascida no colo

Siga CLAUDIA no Instagram