Saiba quem são os brasileiros que assediaram mulher na Rússia

Três homens que aparecem em destaque no vídeo já foram identificados

Desde o último domingo (17), circula nas redes sociais um vídeo em que torcedores brasileiros, na Rússia, cercam uma mulher e fazem com que ela repita uma música com referências sexuais à própria genitália. Sem entender o idioma, a moça assim o faz e é exposta em uma gravação.

Três dos homens que aparecem em destaque nas imagens já foram identificados. Outro rapaz, que estava nas imagens e não quis ser identificado, falou a FOLHA.

DIEGO VALENÇA JATOBÁ, advogado e ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE)

 (Reprodução/Reprodução)

Diego Jatobá em jogo na Rússia

Diego Jatobá em jogo na Rússia (Reprodução/Instagram)

O pernambucano Diego Valença Jatobá é advogado e ex-secretário de Turismo de Ipojuca, em Pernambuco. Em 2012, foi condenado por mau uso do dinheiro público enquanto esteve à frente da pasta.

Também é réu em um processo, ainda em primeira instância, movido pela ex-mulher por falta de pagamento de pensão alimentícia. Segundo a Justiça, ele deve R$ 37.561,83 e, por isso, a juíza Ana Emília de Oliveira Melo, da 3.ª Vara de Família e Registro Civil de Pernambuco, pediu o bloqueio de conta bancária.

EDUARDO NUNES, tenente da Polícia Militar de Santa Catarina

 (Reprodução/Reprodução)

 (Facebook/Reprodução)

Eduardo Nunes é tenente da Polícia Militar e presta serviço em Lages, cidade de Santa Catarina. Em nota, o comando da PM catarinense confirmou a identidade dele e disse “abrirá um processo administrativo-disciplinar para apurar a conduta irregular do militar” assim que o policial voltar da viagem à Rússia. Segundo informações do G1, neste ano, o tenente participou de uma ação de conscientização contra o assédio em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

LUCIANO GIL MENDES COELHO, engenheiro e ex-secretário de Saúde e Educação do Piauí

 (Reprodução/Reprodução)

 (Cidades na Net/Piauí/Reprodução)

O engenheiro civil Luciano Gil Mendes Coelho, nascido em Picos, no Piauí, foi secretário de Saúde e de Educação do Estado do Piauí. Lá, também foi membro do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA-PI).

Também prestou serviço como engenheiro civil na Prefeitura de Araripina, em Pernambuco. Em 2015, foi preso em durante ação conjunta da Polícia Federal (PF) com a Controladoria Geral da União (CGU), na operação “Paradise”, que investigava um esquema de desvio de dinheiro público na Prefeitura de Araripina. O grupo desviou dinheiro público, repassado do Ministério da Educação e que deveria ser usado para a construção creches, escolas e quadras esportivas. Eles fraudavam licitações para que empresas dos parentes, amigos e laranjas dos integrantes fossem beneficiadas.

“JOSUÉ”

Um dos homens que aparece no vídeo e “não quis ser identificado”, chamado de “Josué” pelo grupo em que estava, falou com a reportagem da Folha em um bar em Moscou. Na entrevista, o homem disse que tudo não passou de uma “brincadeira” e que, agora, todos estão sendo perseguidos e “com medo de perder o emprego”.

“Entrei de gaiato nisso. Foi uma brincadeira de muito mau gosto. Lamento ter aparecido nisso, mas brasileiro quando vê uma câmera quer se meter na frente”, afirmou.

OUTRO VÍDEO VIRALIZOU

Outra gravação com conteúdo semelhante ao primeiro vídeo caiu na nas redes. Neste, ao menos três homens ensinam três mulheres a falar, em português e de forma pornográfica, que gostariam de ter relações sexuais com eles. Um dos homens deste segundo vídeo seria Felipe Wilson, supervisor da Latam no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

A VEJA, a companhia área confirmou que ele faz parte da equipe da empresa e promete apurar os fatos. “Repudiamos veementemente qualquer tipo de ofensa e prática discriminatória e reforçamos que qualquer opinião que contrarie o respeito não reflete os valores e os princípios da empresa”, diz o texto.