CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Dúvidas sobre a segurança de Peng Shuai permanecem após seu reaparecimento

A federação internacional de tênis feminino aponta que as novas imagens de Peng Shuai são "insuficientes" para garantir a segurança da atleta

Por Da Redação 22 nov 2021, 16h11

Após forte pressão internacional sobre o paradeiro da tenista chinesa Peng Shuai, ela reapareceu em público no último domingo (21) em um torneio de tênis juvenil que ocorreu em Pequim. Fotos da atleta foram publicadas na conta oficial do China Open, na rede social Weibo, uma espécie de Twitter chinês.

Em sua primeira aparição pública após ter acusado o ex-vice-premiê do país Zhang Gaoli de estupro, Peng estava vestida com um agasalho esportivo azul-marinho, calça branca do patrocinador do evento e cercada de crianças. 

A ONU, os Estados Unidos, o Reino Unido e grandes nomes do tênis mundial pressionaram o governo chinês sobre o desaparecimento da estrela do tênis. A resposta foi a divulgação de imagens onde a esportista aparenta estar bem, no entanto, não é possível saber em quais condições foram produzidas.

No início do mês, Peng desapareceu repentinamente depois de ter denunciado abuso sexual contra Zhang Gaoli, que fazia parte do Comitê Permanente do Politburo, órgão que representa a cúpula do Partido Comunista, em sua conta no Weibo.

De acordo com seu relato, ele a coagiu a fazer sexo e, depois, eles tiveram uma relação consensual intermitente. Ela disse ainda que não tinha provas para suas acusações.

Apesar do post ter sido excluído cerca de meia hora depois, o relato da tenista ganhou notoriedade. Agências de notícias apontaram que na rede social o nome de Peng atingiu mais de 20 milhões de visualizações.

Continua após a publicidade

Na última semana, imagens da atleta começaram a aparecer nas redes sociais por meio de pessoas próximas do governo da China, como Hu Xijin, jornalista e editor-chefe do Global Times, um jornal chinês nacionalista e próximo do Partido Comunista Chinês.

O jornalista publicou em sua conta no Twitter um vídeo de Peng dando autógrafos para crianças no que parece ser o mesmo estádio da primeira imagem divulgada da tenista na competição. Imagens de uma videochamada de Peng Shuai com Thomas Bach, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) também foram compartilhadas.

Para a federação internacional de tênis feminino (WTA), as novas imagens da esportista são “insuficientes” para tranquilizar a organização. Na última semana, Steve Simon, presidente da WTA declarou em entrevista à Times que tentou contatar a tenista por vários meios, sem sucesso.

Peng Shuai
A tenista Peng Shuai em videochamada com Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI) Greg Martin/COI/Reprodução

Caso não obtenha informações concretas sobre a segurança de Peng Shuai, a instituição ameaça suspender contratos lucrativos que tem com a China. A WTA ameaçou ainda deixar de organizar torneios no país caso a jogadora continue desaparecida.

“Foi bom ver Peng Shuai em vídeos recentes, mas eles não aliviam ou tratam da preocupação da WTA sobre seu bem-estar e a capacidade de se comunicar sem censura ou coerção”, disse uma porta-voz da WTA por e-mail.

Continua após a publicidade

Publicidade