Pastor pede fotos de adolescente nua para “quebrar maldição”

Conteúdo das mensagens revela abuso, onde o pastor argumenta que "anjos" pediram as imagens da jovem. Para polícia, há outras vítimas

O bispo evangélico Marcones dos Santos Pereira, 47, foi preso após ser acusado de abusar sexualmente de uma adolescente de 13 anos em Cristalina, Distrito Federal. No caso, o bispo pediu fotos da menor nua, para “quebrar uma maldição”. Durante o diálogo, Marcones pediu para que ela confiasse nele, e disse que as imagens eram um pedido “dos anjos”.

Marcones foi preso no domingo (8), quando chegava para presidir um culto em uma igreja de Balneário Camboriú, em Santa Catarina. A Justiça de Goiás expediu o mandado de prisão após pedido da delegacia de Polícia Civil da cidade, que recebeu denúncia da mãe da adolescente.

“Preciso proteger você. Você tem que confiar em mim e fazer o que eu te pedir. (…) Tenho que pegar uma foto sua para quebrar esta maldição que ele deixou em você. É uma foto do seu corpo todo, os anjos que pediram. Assim que quebrar [a maldição], eu apago”, disse o pastor.

Mas esse não foi o primeiro caso envolvendo o pastor, que já havia sendo investigado desde fevereiro desse ano. A mãe da adolescente, que não quis se identificar, disse que a filha conheceu o bispo em junho de 2017, quando ele chegou a Cristalina para presidir o culto. De acordo com a família, ele trocava mensagens com a menor desde então.

Em entrevista, a mãe alegou que a adolescente estava se compordando de maneira diferente. “(…) Tinha vez que ela queria me contar alguma coisa. Foi um choque. O pai dela ficou aterrorizado. A gente fica muito triste em saber que as pessoas usam o nome de Deus para fazer uma coisa desta”, conta.

Segundo o delegado Rafael Pareja, responsável pelas investigações, em entrevista para o G1, o pastor não era ligado a nenhuma igreja e fazia pregações em várias instituições. De acordo com Rafael, o bispo participava de eventos religiosos em Goiás, Distrito Federal, outros estados e até fora do país.

O pastor se aproximava dos fiéis oferecendo ajuda espiritual. De acordo com as mensagens trocadas com a estudante, a polícia acredita que existem mais vítimas. “Inclusive, em uma das conversas, ele diz para a menor que ele já é acostumado a tirar a virgindade de outras meninas, para ela ficar calma que daria tudo certo. Então eu acredito que sim, existem outras vítimas, que podem aparecer. Que com a prisão dele, agora, elas tomem coragem para denunciar”, aponta.

O bispo está preso em Santa Catarina e deve ser transferido para Goiás, segundo o delegado, em no máximo 10 dias. Ele responderá por exploração sexual de menores e pedofilia.

Segundo o delegado, o pastor ainda não tem defesa estabelecida.