Advogadas se engajam no combate às notícias falsas sobre Marielle

Vereadora do PSOL, morta no último dia 14, tem sido vítima de boatos que tentam deslegitimar seu trabalho e manchar sua imagem

Depois do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes na última quarta-feira (14), não faltam notícias falsas sobre a vereadora circulando pelas redes sociais.

A proliferação de informações mentirosas, com o objetivo de difamar e deslegitimar as lutas de Marielle, motivou um grupo de advogadas a se engajarem para combater esse tipo de boato.

Veja também

O escritório EJS Advogadas montou uma força-tarefa para receber denúncias sobre essas fake news e encaminhá-las à Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) da Polícia Civil do Rio de Janeiro. De acordo com a GloboNews, mais de 2 mil denúncias desde a última quinta-feira (15) chegaram ao escritório das sócias Evelyn Melo, Samara Castro e Juliana Durães.

Ainda no sábado (17), o PSOL também anunciou que iria entrar com uma representação legal no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra a desembargadora Marilia Castro Neves, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). A magistrada acusou Marielle de ser “engajada com bandidos” e de ter sido “eleita pelo Comando Vermelho”, a maior facção criminosa do RJ.