Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Após a morte do filho de 3 anos, mãe de Gael é presa em SP

"Ele me abraçou e falou ‘papai, te amo’. É isso que vou guardar", desabafou o pai da criança em entrevista

Por Da Redação Atualizado em 11 Maio 2021, 16h15 - Publicado em 11 Maio 2021, 14h53

Gael de Freitas Nunes, um menino de 3 anos, foi encontrado inconsciente e com ferimentos na segunda-feira (10), no apartamento em que morava com a mãe, a tia-avó e a irmã de 13 anos, localizado na Bela Vista, centro de São Paulo. A criança chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu e morreu.

Na madrugada desta terça-feira (11), a Polícia Civil prendeu a mãe de Gael. Por volta de meia-noite, ela prestou depoimento na 1° Delegacia de Defesa da Mulher no Cambuci ainda de madrugada e depois encaminhada para o 89°DP no Portal do Morumbi, onde há uma carceragem feminina.

Segundo as informações da polícia, ela é suspeita de ter cometido as agressões que levaram à morte de Gael. De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O) registrado, a criança estava desacordada na cozinha junto a mãe e foi achada pela tia-avó.

No local, o Samu registrou que o menino teve uma parada cardiorrespiratória e morreu antes de chegar ao hospital. Após ser acionada pelo Samu, a Polícia Militar afirmou que a mãe passou por um surto psicótico.

Ela foi encontrada pela polícia em estado de choque no banheiro e foi encaminhada ao Hospital do Mandaqui, na zona norte da cidade, para ser medicada. Em seguida foi levada pela polícia para prestar depoimento.

Continua após a publicidade

Segundo a tia-avó, o menino tomou mamadeira por volta das 7h e os dois ficaram assistindo televisão. Depois, quando ele foi até a cozinha, a tia-avó passou a ouvir um choro e achou que a criança queria colo da mãe.

Após cinco minutos, ela começou a ouvir barulhos fortes na parede que acreditava ser de outro apartamento. Dez minutos depois a senhora ouviu barulho de vidro quebrando na cozinha. Ao chegar no cômodo, ela encontrou Gael deitado no chão com vômito e coberto por uma toalha de mesa.

A tia-avó conta que questionou a mãe sobre o que havia acontecido, mas ela não respondeu. A irmã adolescente do menino ligou para o Samu a pedido da tia-avó.

Ainda segundo a testemunha, a mãe do garoto já foi internada outras vezes, mas não soube informar se foi por motivos psiquiátricos. Em entrevista ao G1, o médico do Samu contou que a mãe também não respondia as suas perguntas.

“A mãe, o tempo inteiro, encontrava-se na cozinha. Nossa equipe tentou diversas vezes coletar informação, mas acho que devido ao trauma, ao choque, à situação toda, ela não estava responsiva. Quem nos dava informação era somente a avó e a irmã menor de idade”, afirmou.

Para o G1, Felipe Nunes, pai de Gael, informou que o enterro acontecerá na Paraíba, estado dos pais do menino. “Quando eu fui levá-lo para passar o final do Dia das Mães com a mãe, ele me abraçou, e falou ‘papai, te amo’. É isso que vou guardar”, desabafou o motorista sobre o filho.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade