Jovem descobriu ter sido vítima de estupro coletivo após se ver em vídeo

A mulher disse que tomou uma bebida de um amigo em uma festa e ficou inconsciente

Um caso de estupro coletivo contra uma jovem de 22 anos está sendo investigado pela Polícia Civil de Cordeiro, na Região Serrana do Rio de Janeiro. As autoridades também investigam a divulgação das imagens na internet. O abuso foi cometido por três homens.

A jovem afirma que estava inconsciente e que só soube que havia sido violentada depois de ver o vídeo circulando na internet. O caso ocorreu no dia 13 de julho, segundo Valéria Melo, advogada da vítima.

A advogada disse que a vítima estava em uma festa na cidade de Cantagalo e tomou uma bebida de um amigo. Depois disso, se sentiu mal e disse que queria ir para casa. Esse amigo ofereceu uma carona e a menina aceitou.

“Ele ofereceu para levá-la para casa, e ela aceitou a carona. Ela lembra de ter acordado em casa e não se recorda do que aconteceu depois que saiu da festa”, disse Valéria.

VEJA os assuntos que mais estão bombando nas redes sociais

Uma amiga da vítima mostrou o vídeo que estava circulando na internet e, então, a jovem procurou uma delegacia para registrar a ocorrência. A advogada afirma que a vítima não conhecia os outros dois homens que aparecem nas imagens e nem sabe para onde eles a levaram.

Depois de ir até a delegacia, a jovem foi encaminhada para o Hospital Raul Sertã, em Nova Friburgo, onde tomou os antivirais.

A vítima conversou com o G1 por telefone e não quis se identificar. Ela disse que está muito abalada e alertou as mulheres, dizendo que elas devem ter muito cuidado ao tomar a bebida do copo de outras pessoas, mesmo que sejam conhecidas.

“Foi muito, muito ruim. Me senti mal. Chorei pra caramba. Eu estava totalmente inconsciente. Daquela noite, eu não lembro de nada. Eu nunca esperava que pudesse acontecer isso”, disse.

Em uma rede social, ela pediu que não compartilhem o vídeo. “Quero agradecer as mensagens de carinho de amigos e familiares. Estou bem, mas infelizmente fui vítima de um crime e as providências legais já estão sendo tomadas através da delegacia e da minha advogada. Peço que não incentivem o compartilhamento, pois além de me prejudicar, estes também serão investigados”.

Os homens que aparecem nas imagens ainda serão ouvidos pela Polícia Civil.

Leia mais: Homem que ateou fogo e trancou mulher em quarto por 17 horas é preso

+ Homem estuprou enteada de 9 anos e ofereceu dinheiro pelo silêncio dela

Relacionamento abusivo: saiba se você está em um no podcast Senta Lá, CLAUDIA