Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Influenciadoras egípcias são condenadas à prisão por usar o TikTok

Uma delas já havia sido presa no mês de abril, após fazer um post em que ensina mulheres a ganhar dinheiro com vídeos online

Por Da Redação - Atualizado em 29 jul 2020, 19h47 - Publicado em 29 jul 2020, 19h30

Na última segunda-feira (27), duas influenciadoras egípcias foram condenadas à prisão por gravar vídeos no Tik Tok. A acusação contra as jovens era de que elas teriam “violado os valores da família”.

Haneen Hossam e Mawada Al-Adham, ambas de 20 anos, receberam a pena de dois anos de prisão. Elas são acusadas de publicar conteúdo indecente e de incentivar outras jovens a conhecer homens pelo aplicativo. 

Haneen já havia sido presa em abril, após fazer um post em seu Instagram, em que ensina mulheres a ganhar dinheiro transmitindo vídeos online. O tribunal considerou o conteúdo “indecente”, pois foi interpretado pelas autoridades como incentivo à venda de sexo online.

Além disso, a Justiça apontou três homens culpados por ajudarem as influenciadoras a postar os vídeos nas redes sociais. Eles também receberam a sentença de dois anos. Além da condenação, as influenciadoras ainda foram multadas em 300 mil libras egípcias – o equivalente a cerca de R$ 97 mil reais.

Desde o mês de abril, jovens egípcias vêm sendo detidas por utilizar o aplicativo Tik Tok. Nesta semana, acusações contra outras três influenciadoras estão sendo julgadas.

Conversando sobre notícias ruins com as crianças

 

Continua após a publicidade
Publicidade