Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Ex-diplomata agressor de mulheres é condenado a 5 anos de prisão

Renato de Ávila Viana era primeiro-secretário do Itamaraty e já tinha histórico de agressão de mulheres

Por Da Redação 27 nov 2020, 12h01

O ex-diplomata Renato de Ávila Viana foi condenado a cinco anos e dez meses de prisão por agredir a ex-namorada. A decisão, da Justiça do Distrito Federal, prevê que ele comece a cumprir pena em regime fechado. Também foi decretada sua prisão preventiva. As informações são do G1.

A sentença é referente a um caso que ocorreu em 2017, em Águas Claras, no DF. De acordo com o processo, Viana teria ido à casa de uma ex-namorada para tentar reatar o relacionamento. A vítima recusou e, em seguida, ele passou a agredi-la “com safanões e segurou fortemente seu rosto, pressionando-o ao ponto de fazer se soltar uma prótese dentária”, conforme descreve o processo.

Viana, atualmente, responde também por outro processo de violência doméstica, registrado em 2019. Segundo a sentença, o réu teria dado socos na cabeça e no corpo da vítima, além de ter queimado um charuto nela. Ele chegou a ficar preso entre outubro de 2018 e março de 2019, porém recebeu o direito à progressão de pena, deixando o Complexo Penitenciário da Papuda no ano passado.

A sentença atual traz, ainda, uma série de agressões cometidas por ele contra outras mulheres, havendo, inclusive, registros de crimes de 2007.

Renato era primeiro-secretário do Ministério das Relações Exteriores, o Itamaraty. Ele foi demitido em setembro de 2018, após receber a primeira sentença, sendo enquadrado por improbidade administrativa e por “descumprimento das normas que disciplinam a conduta pessoal e a vida privada do servidor público”.

Antes de ser preso, em 2018, o ex-diplomata foi detido em Brasília por desacato, lesão corporal e também violência contra a mulher. No entanto, Viana pagou a fiança de R$ 1 mil e foi liberado em seguida.

  • O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

    Continua após a publicidade
    Publicidade