Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Documentário revela seita sexual que manipulava famosos em Hollywood

"The Vow", da HBO, conta com detalhes os bastidores da seita que escravizou mulheres e que contava com a participação de artistas

Por Da Redação Atualizado em 16 set 2020, 14h47 - Publicado em 25 ago 2020, 13h51

A prisão da atriz Alison Mack, uma das estrelas da série Smallville, em 2019, surpreendeu muitos fãs. Alison foi detida depois de se confessar culpada das acusações de extorsão e conspiração, admitindo ter coagido duas mulheres a realizar serviços ao ameaçar divulgar informações prejudiciais sobre elas como parte de um suposto culto sexual de Nova York.

A atriz disse que há dez anos se uniu à organização Nxivm, liderada pelo guia espiritual auto-proclamado Keith Raniere. Alison diz que buscava um propósito na vida. “Ao longo de todo o tempo, eu acreditei que as intenções de Keith Raniere eram de ajudar pessoas”, disse ela na época de sua prisão. “Eu estava errada. Eu agora percebo que eu e outras pessoas engajamos em condutas criminosas”.

A sede da NXIVM, onde Keith Raniere recrutava as escravas sexuais Amy Luke/Getty Images

Por sugestão de Alison, algumas das participantes da organização chegavam a ser marcadas com as iniciais de Raniere e todas eram forçadas a fazer sexo com ele, segundo promotores. Para recrutar novos membros, Alison dizia que as mulheres fariam parte de um grupo de mentoria de mulheres, precisando revelar segredos pessoais, do tipo que pudessem arruinar suas reputações, para poder entrar. Além disso, a seita também coletava fotos explícitas e vídeos dos membros, e assumia suas propriedades, escravizando mulheres que lideradas por “mestres”.

Todo esse pesadelo é revelado em detalhes na série “The Vow”, da HBO. O documentário mostra como funcionava o esquema que tinha uma fachada limpa e agia como um falso “grupo de autoajuda”, que prosperou em Hollywood. Com depoimentos de dois ex-integrantes da seita, é possível ver como o lado aparentemente positivo era uma mentira, que seduzia suas vítimas. O nome, “o voto”, em tradução livre, era o codinome dado à organização.

A introdução à seita era através de vídeos e palestras que ensinavam aos iniciantes a abandonar crenças limitadoras. Para subir na hierarquia, deveriam recrutar novos integrantes. Dessa forma, a seita Nxivm mesclava autoajuda e esquema de pirâmide. Raniere se apresentava como um intelectual e mentor, ganhando o respeito e confiança dos seguidores.

Jean-Paul Aussenard/WireImage/Getty Images

A série tem oito episódios e é dirigida por Karim Amer e Jehane Noujaim, a mesma dupla indicada ao Oscar em 2014 pelo documentário The Square, que retratou os protestos da Primavera Árabe no Egito. Alison Mack fez um acordo de delação e no momento não está presa, tendo pago a fiança de cinco milhões de dólares ela aguarda a decisão da Justiça em prisão domiciliar, na Califórnia. Por conta da pandemia, seu julgamento foi atrasado e ainda não há data marcada para audiência. Ela pode ser condenada a 40 anos de prisão (20 anos por cada uma das vítimas que admitiu ter recrutado). Keith Raniere está preso, em Nova York. Seu julgamento está previsto para final de outubro e pode ser condenado a perpétua.

 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade