A viúva de Marielle

Vereadora assassinada passou últimos anos ao lado da arquiteta Monica Tereza Benício, “minha companheira de vida e amor, a primeira mulher que beijei"

Ativista das causas de muitas minorias, Marielle Franco conhecia bem as dores e preconceitos de cada uma delas. Era mulher, negra, da favela. E lésbica. Seus últimos anos foram vividos ao lado da arquiteta Monica Tereza Benício, a quem considerava “minha companheira de vida e amor, a primeira mulher que beijei”.

Leia mais: Monica Benicio, a história do grande amor de Marielle Franco

Em agosto último, na plenária que votou um projeto de lei de autoria da parlamentar pela instituição do Dia da Visibilidade Lésbica no Rio de Janeiro, ela fez um duro discurso sobre a responsabilidade da Câmara na defesa dos direitos LGBT. O projeto foi reprovado por 2 votos de diferença. E, de acordo com uma assessora técnica da Câmara que à época preferiu não se identificar, “nenhum outro projeto de celebração à vida LGBT chegou tão longe quanto esse”.

O tema foi lembrado ainda, naquele que é considerado o último pronunciamento público antes do crime que tirou sua vida. Ao finalizar sua fala, citou a escritora caribenha Audre Lorde, negra, feminista e lésbica como ela: “Eu não sou livre enquanto outra mulher for prisioneira. Mesmo que as correntes dela sejam diferentes das minhas. Por isso vamos juntas lutando contra toda forma de opressão”.

Monica, viúva de Marielle.

[Atualização em 19/03/2017: Monica deu entrevista ao Fantástico no domingo (18)]

Reclusa desde o assassinato da companheira, Monica, compreensivelmente, não quer conceder entrevistas ou declarações. Nos perfis de Marielle em redes sociais, estão as lembranças de um relacionamento feliz – as duas aparecem sorrindo e apaixonadas, em viagens, shows, entre amigos, com a filha adolescente da vereadora e também nas paradas LGBT.

Não faltam declarações da parlamentar, quase sempre finalizadas com a hashtag #NossasFamíliasExistem, em referência ao Estatuto da Família, que define a família como a união entre homem e mulher. Mônica por sua vez, correspondia com comentários como “entre tantas vidas, que sorte a nossa”. No último registro publicado, no dia 1 de março, as duas posavam sorridentes com o Complexo da Maré ao fundo, em comemoração ao aniversário do Rio de Janeiro.

Na noite de 14 de março, Marielle deixou, além de tantas lutas, da família e dos amigos, seu grande amor. Monica ficou viúva. E nós, de certa forma, também.

Leia também: Vaquinha virtual para ajudar família de motorista morto com a vereadora Marielle Franco

+ O que mãe de policial morto disse sobre Marielle

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s