CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Gesto salva menina sequestrada. Veja como pedir ajuda em caso de violência

Jovem usou um sinal que viralizou no TikTok de aviso de agressão contra mulher para pedir socorro ao ser sequestrada

Por Da Redação Atualizado em 12 nov 2021, 20h02 - Publicado em 10 nov 2021, 09h30

Dentro de um Toyota prateado, transitando pelo estado da Carolina do Norte nos Estados Unidos, uma jovem que estava sendo feita de refém por um homem de 61 anos, avisou, com um gesto, que precisava de ajuda para um outro condutor que passava perto do veículo. Ela teria visto no TikTok que um sinal feito com uma das mãos informa quando uma pessoa está em situação de violência doméstica

Logo que notou o pedido de socorro o motorista acionou a polícia e disse que havia visto uma jovem passando de carro com um homem mais velho e parecia estar em apuros. 

Veja também: Meninas representam 80% dos casos de estupro de menores no Brasil

As autoridades conseguiram abordar o condutor do veículo a tempo e ao encontrar a menina viram que ela havia sido dada como desaparecida pelos pais desde terça-feira (2).

O  homem que sequestrou a jovem foi reconhecido como James Herbert Brick, de 61 anos, e foi preso em flagrante. No celular do acusado também foi encontrada uma foto de uma outra menor de idade com uma pose sexual, de acordo com uma nota da polícia do condado de Laurel. 

Como fazer o sinal

O sinal que salvou a jovem foi criado pela Fundação Mulheres Canadenses (Canandian Women’s Foundation) no ano passado em razão do aumento de mulheres sendo agredidas em seus lares com o isolamento social causado pela Covid-19

Continua após a publicidade

O sinal acabou virando viral no TikTok e consiste em fazer três gestos que informam que é necessário acionar as autoridades naquele exato momento. Para reproduzir você precisa:

1- Levantar a mão e deixar a palma voltada para a pessoa que deseja fazer o sinal.

2- Encoste o polegar na palma da mão.

3- Dobre os dedos sobre o polegar 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Canadian Women’s Foundation (@canadianwomensfoundation)

Continua após a publicidade

Publicidade