Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

“O sistema é intolerável”, diz Angelina Jolie sobre racismo

Em entrevista à revista americana, a atriz afirma que, além de empatia, são necessárias ações efetivas para combater o racismo estrutural

Por Da Redação - Atualizado em 12 jun 2020, 14h28 - Publicado em 12 jun 2020, 14h11

Angelina Jolie, assim como várias outras personalidades, se posicionou sobre as manifestações contra o racismo que estão tomando conta dos Estados Unidos desde a morte do segurança negro George Floyd.

“Um sistema que me protege mas não protege a minha filha ou qualquer homem, mulher e criança por causa da cor de sua pele é intolerável”, declarou a atriz em entrevista à revista americana Harper’s Bazaar. Angelina é mãe de Zahara Jolie-Pitt, uma garota negra de 15 anos. Ela foi adotada na Etiópia.

A atriz também disse acreditar que a luta contra o racismo deve ir além das demonstrações de empatia e das boas intenções: “Precisamos de leis e políticas que realmente abordem o racismo estrutural e a impunidade. Acabar com abusos no policiamento é só o começo”, declarou.

Ela se refere à violência policial que causou a morte de Floyd e que é um problema recorrente não só nos Estados Unidos mas em muitos lugares do mundo. Floyd foi assassinado por Derek Chauvin, que se ajoelhou no pescoço do homem negro durante oito minutos e quarenta e seis segundos. Posteriormente, foi anunciado que essa manobra não está autorizada pela polícia de Minneapolis. Chauvin e mais dois policiais estão presos, um terceiro pagou fiança e vai responder às acusações de assassinato em liberdade.

“O meu conselho é ouvir as pessoas que estão sentindo essa opressão na pele, e nunca presumir que você já sabe do que estão falando”, finaliza Angelina.

O que você precisa saber sobre gravidez em tempos de pandemia

Continua após a publicidade
Publicidade