Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Lutadora olímpica brasileira revela assédio sexual

"A pior lembrança que eu tenho é de um menino chamando a atenção do outro por estar mexendo no meu corpo", conta

Por Da Redação 25 dez 2017, 12h44

A atleta Aline Silva, 29 anos, é conhecida por seu desempenho na luta olímpica. Vice-campeã mundial na modalidade, ela é uma das referências nacionais. Contudo, no último domingo (24), a atleta olímpica teve seu nome sob holofotes em consequência de um trauma de seu passado: violência sexual.

Em entrevista ao programa Esporte Espetacular, Aline contou que sofreu a violência quando era criança, aos 11 anos. O episódio ocorrido há mais de uma década não foi o único. “A pior lembrança que eu tenho é de um menino chamando a atenção do outro por estar mexendo no meu corpo”, contou.

Durante a conversa, a atleta ressaltou o quanto é difícil para a atleta superar um trauma como este. “Isso para mim é muito difícil…É muito difícil lidar com o assunto. Tem coisas que eu estou me preparando para começar a contar. É tão difícil, é tão vergonhoso, e a mulher é criada com esse sentimento de vergonha.”

Apesar do sentimento repressor, Aline se viu motivada a falar após movimentos que incentivam mulheres a denunciarem seus assédios e violências sexuais como o #MeToo, #ChegadeFiuFiu, #MeuAmigoSecreto e #PrimeiroAssédio. “Nós não vivemos num ambiente que traz segurança. A sociedade não está preparada para falar e proteger as nossas meninas, as nossas garotas, as nossas mulheres. E é por isso que um monte de história ainda está calada.”

Leia mais:

+ Executivas de Hollywood criam comissão contra assédio sexual

Continua após a publicidade

+ Estudo mostra que homens não entendem consentimento sexual

+ Deputada instaura processo após sofrer assédio no plenário

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade