Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Deputada instaura processo após sofrer assédio no plenário

Pedido de apuração vai investigar quem chamou Shéridan de "gostosa" durante votação

Por Camila Bahia Braga - Atualizado em 9 ago 2017, 17h43 - Publicado em 9 ago 2017, 16h12

A deputada federal Shéridan (PSDB/RR) protocolou, nesta terça-feira (8), pedido de apuração para investigar o assédio que sofreu na Câmara dos Deputados durante a votação da denúncia contra Michel Temer (PMDB) apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

Quando o nome da deputada foi chamado ao microfone para participar da votação, um dos parlamentares presentes gritou “gostosa”. Shéridan afirmou que não vai se calar sobre o caso.

“O machismo é a forma mais sistêmica, mais direta de tentar tolher o direito da mulher, de tentar desqualificar a mulher brasileira e nós temos que enfrentar. Fazer ouvir e valer nossos direitos”, manifestou ela em sua página no Facebook.

Se aprovado, o pedido de Shéridan irá para a Mesa Diretora e será entregue ao Conselho de Ética da Câmara. O órgão se encarregará então de analisá-lo e tomar as medidas que considerar cabíveis em relação ao responsável pelo assédio.

Continua após a publicidade

Leia mais: Mulheres revelam conivência do Vale do Silício com assédio sexual

“Estamos no Congresso Nacional, na Câmara dos Deputados, lugar que deveria ser palco e celeiro das leis que protegem os cidadãos brasileiros, e aqui também houve essa violação. Para vocês verem que existe em todo lugar e não podemos nos calar“, defendeu a deputada.

Publicidade