Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Lima Duarte emociona-se em homenagem ao amigo Flávio Migliaccio

Em vídeo emocionante publicado na terça-feira (5), o ator relembra algumas memórias com o colega, que foi encontrado sem vida na última segunda (4)

Por Da Redação - Atualizado em 6 Maio 2020, 11h41 - Publicado em 6 Maio 2020, 11h35

O ator Lima Duarte, de 90 anos, divulgou um vídeo emocionante na última terça-feira (5), em que fala sobre a morte do amigo e também ator Flávio Migliaccio. Na gravação, Duarte relembra momentos difíceis vividos durante a Ditadura Militar e fala sobre os tempos atuais.

“Eu te entendo, Migliaccio, porque eu, como você, sou do Teatro de Arena, com Paulo José, Chico de Assis, com o [Gianfrancesco] Guarnieri. Foi lá que aprendemos com o (Augusto) Boal que era preciso, era urgente que se pusesse o brasileiro em cena”, declara ele logo no início.

No decorrer do vídeo, de quase cinco minutos, Duarte relembra a trajetória de Migliaccio como ator. “Era urgente que se colocasse o homem brasileiro em cena, com o seu falar, com o seu sentir, com o seu jeitão. A alma brasileira. Você foi um mestre! Você conseguiu colocar e eu também, colocamos em cena o homem brasileiro. Foi linda essa viagem, essa aventura foi espetacular, nos dedicamos a isso com ardor, com paixão. Colocar o homem brasileiro, a alma brasileira em cena. Conseguimos isso com o Teatro de Arena”, relata o ator.

Em seguida, Lima rememora as dificuldades enfrentadas pelos atores durante a Ditadura Militar, como a vez em que foi levado para responder interrogatório no DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) e revelou algumas passagens do momento.

Continua após a publicidade

“Por isso, por ter vivido esse momento, por ter pertencido à Arena eu digo que eu te entendo, Migliaccio. Agora, quando sentimos o hálito putrefato de 64, o bafio terrível de 68, agora, 56 anos depois, eu com 90 [anos] e você com 85 [anos], quando eles promovem a devastação dos velhos, não podemos mais”, declarou. “Eu não tive a coragem que você teve. Mas espera aí, meu amigo, eu vou logo. Eu vou me encontrar com Boal, com você e vamos contar aquelas piadas horrorosas que você contaria, que o Chico de Assis apontava. Nos encontramos logo”, completou, visivelmente emocionado.

Ao final, Duarte diz: “Aos que ficam, eu quero lembrar uma das falas de Pedro Jáqueras em ‘Os Fuzis da Senhora Carrar’ [de Bertolt Brecht, que ele interpretou no Teatro de Arena]: ‘Os que lavam as mãos, o fazem numa bacia de sangue'”, concluiu.

Veja o vídeo completo abaixo:

Flávio Migliaccio foi encontrado sem vida em sua casa na segunda-feira (4), em Rio Bonito, interior do Rio de Janeiro. Em texto publicado no Facebook, o filho do ator, o jornalista Marcelo Migliaccio, escreveu:

Continua após a publicidade

“Ele sempre me dizia que não aguentava mais viver num mundo como esse e sentir seu corpo deteriorar-se rápida e irreversivelmente pela idade avançada. Pouco escutava e enxergava. ‘Daqui para frente só vai piorar’, ele me dizia enquanto eu buscava todos os argumentos possíveis para lhe mostrar que ainda havia muita coisa boa reservada para ele.” Veja a publicação abaixo:

Eu sabia que o meu pai era muito querido pelo Brasil inteiro. O que eu não fazia ideia era do quanto eu tinha amigos,…

Posted by Marcelo Migliaccio on Tuesday, May 5, 2020

Continua após a publicidade

Em tempos de isolamento, não se cobre tanto a ser produtiva:

Publicidade