CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Música de Israel e Rodolffo é acusada de apologia ao estupro

"Essa música diz que se a mulher for estuprada, a culpa é dela, porque ela atiçou" disse a psicóloga Manuela Xavier

Por Da Redação Atualizado em 22 nov 2021, 17h51 - Publicado em 22 nov 2021, 17h44

A dupla sertaneja Israel e Rodolffo lançou uma música na última sexta-feira (19) que está gerando polêmica nas redes sociais. A faixa “Dar uma namorada”, que integra o álbum “Ao vivo em Brasília”, está sendo criticada por fazer apologia ao estupro.

“Cê não vai me iludir de graça. Me atiçou, vai ter que dar uma namorada. Cê não tá querendo rolo, então não caça. Me atiçou, vai ter que dar uma namorada”, diz o refrão da música.

O debate foi levantado neste fim de semana por Manuela Xavier, a psicanalista e feminista criticou a letra em seu perfil no Instagram. “Essa música, escrita hoje em 2021, com uma mentalidade de 1920, diz que se a mulher for estuprada, a culpa é dela, porque ela atiçou. Qualquer semelhança com ‘qual a roupa que ela estava usando’, ‘mas ela estava fazendo doce’ não é mera coincidência”, disse a doutora em psicologia.

Em seu post, ela não completa a palavra “estupro” e explica que seu vídeo pode ser derrubado por esse motivo. “Esse é um vídeo de silêncios. Não posso pronunciar a palavra €$tu.pr*. Vejam bem, eu, uma mulher, não posso fazer uma denúncia sobre a cultura do $stu_pr* que faz uma de nós vítima a cada 8 minutos; mas Israel e Rodolffo, dois homens brancos, podem cantar que ‘me atiçou vai ter que dar uma namorada'”, escreveu.

View this post on Instagram

A post shared by Manuela Xavier (@manuelaxavier)

O cantor Rodolffo respondeu a publicação de Manuela através dos comentários:

“Boa noite, Manuela. Tudo bem?? Olha, primeiramente eu acho que você está exagerando nas observações, pois a gente faz música para homem e para mulher, uma mulher pode cantar para um homem essa letra, ela é unissex. É uma música alegre, descontraída, para as pessoas se divertirem cantando. Sou totalmente a favor da causa, estou com você. Agora vir criticar o meu trabalho induzindo as pessoas a pensarem que é uma música machista, não. Foi feita para a mulher cantar também”.

A psicóloga respondeu: “Rodolffo, você se equivoca DUPLAMENTE. Eu sou uma mulher. Eu sei o que é cultura do estupro. Não será VOCÊ, um homem, a me dizer o que é ou não machista, até porque isso seria MUITO machista, concorda? Converse com mulheres. Converse com coletivos feministas. Nesse vídeo eu explico perfeitamente o por que dessa música ser um erro. Gaste 5 minutos do seu tempo e aprenda”.

Ainda nos comentários, algumas pessoas defenderam a dupla sertaneja e outras concordaram que a letra faz apologia ao estupro. “Infelizmente banalizaram já, este tipo de música infelizmente vira sucesso”, escreveu um internauta.
Continua após a publicidade

Publicidade