Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Harry e Meghan assinam contrato para nova profissão milionária

Além de muito bem remunerado, o casal fez uma lista de exigências para trabalhar na nova carreira

Por Da Redação - Atualizado em 16 set 2020, 13h22 - Publicado em 10 set 2020, 11h30

Pelo visto, a Netflix não será a única fonte de renda do príncipe Harry e Meghan Markle nos próximos anos. Conforme revelado pelo The Telegraph, o casal planeja oferecer seus serviços no ramo das palestras e já assinaram um contrato com a Harry Walker Agency, empresa que, segundo o próprio site, “representa o que há de melhor em palestrantes”. Grandes nomes como Michelle e Barack Obama, Hillary e Bill Clinton e Oprah Winfrey já fazem parte do rol de representados pela agência.

Porém, como qualquer coisa que envolva a realeza (ou, no caso, a ex-realeza), a contratação do par é permeada de exigências. No fomulário de solicitação, o contratante precisa informar quantas pessoas estarão na audiência e quem são elas, quem serão os moderadores e outros palestrantes envolvidos na conversa e detalhes sobre os patrocinadores do evento e o que estão recebendo em troca desse patrocínio.

A decisão final de quem fará a moderação e apresentação da palestra deve ser tomada pelo casal. O cachê de participação da dupla pode chegar até 1 milhão de dólares e os organizadores devem especificar o quanto estão dispostos a pagar antes mesmo de enviar o convite para Meghan e Harry.

Em caso de conferências virtuais, popularizadas em tempos de pandemia da Covid-19, o casal quer saber de antemão também  o que o público e os palestrantes verão na tela antes e durante a apresentação e se serão incorporadas marcas à transmissão do evento. Meios de divulgação, critérios de acesso do público e tipo de monitoramento da palestra também precisam ser comunicados.

Tais cuidados, diz o Telegraph, fazem parte de um compromisso firmado pelo casal com a Rainha Elizabeth para continuar a defender os valores da monarca mesmo após terem se afastado da realeza e não se engajarem em atividades comerciais que poderiam envergonhar a Rainha. Contatado, um representante do casal preferiu não se pronunciar.

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade