Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Funcionário da rainha Elizabeth vai para prisão após furtos no palácio

Adamo Canto, 37, assistente de catering do Palácio de Buckingham confessou os crimes

Por Da Redação 6 jan 2021, 17h58

Adamo Canto, 37, assistente de catering do Palácio de Buckingham vai cumprir pena após admitir furto de itens da residência real da rainha Elizabeth e que os vendeu online.

Depois de confessar os roubos e declarado culpado de três acusações entre novembro de 2019 e agosto de 2020, em novembro do ano passado, ele foi sentenciado na segunda-feira (4/1), a oito meses de prisão, segundo BBC.

O ex-funcionário do palácio de Scarborough, North Yorkshire, furtou uma quantidade significativa de itens, que a polícia encontrou em seus aposentos.

Entre os itens furtados estavam fotos oficiais assinadas do Príncipe Harry, Príncipe William e Kate Middleton, ele  também levou uma medalha de Companheiro de Banho pertencente ao Mestre da Casa, Vice-Almirante Mestre Tony Johnstone-Burt.

Johnstone-Burt disse em um comunicado que percebeu que a medalha havia sumido quando foi usá-la para um evento. Canto também surrupiou uma medalha de Comandante da Ordem Real Vitoriana do armário do ex-oficial do Exército Britânico Maj Gen Richard Sykes, que foi dada a ele pela rainha em 2010.

Canto ainda furtou um álbum de fotos do banquete do estado real da visita do presidente Donald Trump ao Reino Unido, no valor de US$ 2.000.

O tribunal soube que 77 itens foram retirados da loja do palácio, enquanto peças também sumiram dos armários dos funcionários, da loja da Galeria da Rainha e do depósito do Príncipe Andrew.

O promotor Simon Maughan disse ao tribunal que os bens furtados, totalizaram entre US$ 13.000 e US$ 135.000, foram listados para venda no site eBay. Um total de 37 itens foram vendidos no site bem abaixo do valor original, o que  rendeu a Canto US$ 10 mil.

Canto se aproveitou da pandemia do coronavírus em 2020, quando ganhou mais acesso a escritórios e outras áreas que normalmente não frequentava.

A rainha Elizabeth, 94, não voltou à residência em Londres desde março. Está com o marido, Príncipe Philip, 99, no Castelo de Windsor, na propriedade de Sandringham e no Castelo de Balmoral, na Escócia.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade