CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Confira os cuidados essenciais com os pets durante a virada de ano

Com a queima de fogos de artifício e a movimentação causada pela celebração do Réveillon, o animal pode ficar ansioso e agitado; saiba como lidar

Por Da Redação Atualizado em 31 dez 2020, 13h24 - Publicado em 31 dez 2020, 14h00

A virada do ano é marcada pelos fogos de artifício, que iluminam o céu e o preenchem de cores e brilho, mas também de muito barulho. A tradicional celebração, admirada por muitos, é motivo de pânico para os pets, principalmente os cães, e isso não é novidade para quem tem um animal de estimação em casa.

Isso acontece porque, por natureza, os cachorros ouvem mais alto. Com isso, eles podem apresentar respiração ofegante, salivação excessiva, taquicardia e tremedeira.

A médica veterinária Thaís Matos, que atua na área de Confiança & Segurança da DogHero, explica que é preciso supervisionar os animais de estimação e dá algumas orientações importantes para o Réveillon. Confira!

Mantenha a rotina do seu pet

“Mesmo durante as ocasiões especiais, os tutores precisam manter a rotina do pet tanto quanto possível, como o horário regular de alimentação, sono e caminhada, por exemplo”, aponta Thaís. “É preciso ficar de olho e perceber se há mudanças que demonstrem ansiedade, depressão ou no apetite do animal de estimação. O medo e o estresse causados pelo show de fogos do Ano Novo podem gerar trauma e fazer mal para o cãozinho, portanto deve-se evitar que ele passe por uma situação crítica sem nenhum tipo de cuidado ou amparo”, declara.

Não deixe oferecerem alimentos ao seu pet

A especialista reforça que é importante que os pais e mães de pets não permitam que ofereçam qualquer tipo de alimento diferente do que o cãozinho ou gato já consome. “Produtos típicos das refeições de fim de ano podem fazer mal para os animais de estimação, como uvas (in natura) e uvas passas, frutas cristalizadas no geral, chocolate, macadâmia, ameixa, pêssego, cebola e carnes temperadas”, exemplifica.

Cuidado com os itens decorativos

O Natal já passou, mas, como é de costume no Brasil, os itens de decoração natalinos ainda estão presentes em nossa casa durante a celebração de Ano Novo. Por isso, ainda é preciso ficar atento para que os cães, principalmente os filhotes, não engulam os objetos.

“Os gatos amam fios e coisas penduradas, portanto luzes, pisca-pisca devem ficar fora do alcance dos pets para evitar choques e acidentes, de preferência devem ser mantidas no alto”, complementa Thaís.

Continua após a publicidade

A movimentação pode assustar o animal

Se tiver crianças no ambiente, procure supervisioná-las, pois elas podem querer brincar e abraçar o pet e isso talvez o deixe arisco. Caso ele demonstre algum incômodo ou medo com a movimentação, é importante respeitar o espaço do animalzinho e deixá-lo separado.

Cuidados essenciais durante a queima de fogos de artifício

Os fogos de artifício podem ser assustadores para os animais de estimação, principalmente os cães. Como citado anteriormente, os animaizinhos podem sentir alguns sintomas de pânico, como respiração ofegante, taquicardia e tremedeira. Mas também podem se esconder, fugir ou se machucar.

“O tutor precisa estar por perto durante a queima de fogos para tranquilizá-lo. Por conta da ansiedade, o cãozinho pode ficar pedindo colo, pulando ou chorando. Desta maneira, um ótimo jeito de fazer o pet perceber que está em segurança é oferecer os petiscos ou brinquedos que ele mais gosta, sempre com animação e sorrindo. Os cães entendem muito bem nossas expressões faciais e é muito importante que o tutor não se mostre preocupado com o medo dele”, explica Thaís.

Mantenha o pet dentro de casa

Para conseguir ficar de olho no animal e oferecer um ambiente seguro a ele durante a celebração de fim de ano, os pais do animal devem mantê-lo dentro de casa e em apenas um cômodo, como a sala ou quarto. “Esse espaço deve estar preparado para o animal de estimação, livre de possíveis rotas de fuga ou acidentes. O ideal é retirar todos os objetos que possam oferecer algum risco, que ele possa derrubar ou quebrar”, orienta a veterinária.

“Se o cãozinho escapar, por exemplo, e se esconder embaixo da mesa, da cama, cadeiras ou em qualquer outro lugar, o tutor não deve tentar tirá-lo de lá, pois escondidos eles se sentem mais seguros e tentar tirá-los pode deixá-los mais nervosos, acabar em fuga ou mordida”, explica. “Levando em consideração todo o contexto que envolve as comemorações de fim de ano, o pet poderá tentar fugir se sentir medo. Por isso, o tutor deve manter portas e portões sempre fechados e pedir para que todos da casa sigam a mesma instrução”, completa.

Atenção para as janelas, frestas e qualquer outro pequeno espaço aberto, pois pode ser uma oportunidade ideal para escapar. Lembre-se de ficar atento ao comportamento dos pets durante as celebrações e, caso o tutor note algo estranho, deverá procurar a ajuda de um médico veterinário.

  • O que é mieloma múltiplo e como tratá-lo

    Continua após a publicidade
    Publicidade