Clique e assine com até 75% de desconto

“The Crown”, quarta temporada: o que é real na série da Netflix?

A quarta temporada já está disponível e nós investigamos quais fatos são fiéis à história da Família Real britânica

Por Isabella D'Ercole Atualizado em 18 nov 2020, 20h29 - Publicado em 15 nov 2020, 09h00

Estreou hoje (15) a aguardada quarta temporada da série The Crown, na Netflix. Foi por pouco que os episódios não ficaram para o ano seguinte, já que as gravações terminaram dias antes da quarentena começar por causa da pandemia da Covid-19. A próxima temporada, a quinta, contudo, só deve sair em 2022, já que o cronograma de filmagens teve que ser adiado.

Quem já maratonou a quarta temporada ou pelo menos começou deve ter ficado cheio de dúvidas. Isso porque o período retratado na série inclui muitos acontecimentos relevantes, como a eleição da primeira-ministra Margaret Thatcher (a primeira mulher no cargo), a morte de um familiar querido, a Guerra das Malvinas e, claro, chegada gloriosa de Diana.

Eu fui assistindo e pesquisando para conferir o que era real e o que é aquela dose extra de drama e emoção. Para facilitar, juntei tudo aqui abaixo, assim você pode conferir a veracidade das cenas e se chocar ainda mais com a história.

Charles saía com a irmã de Diana?

Sim, Charles namorou por mais de um ano Sarah Spencer, irmã de Diana, seis anos mais velha do que ela. Eles chegaram a viajar juntos e após uma escapada para esquiar, Sarah teria dito a jornalistas que não se casaria com Charles nem que ele fosse rei. Chateado, ele rompeu pouco tempo depois.

Charles e Diana se conhecem quando ela é criança?

Diana tinha 16 anos quando conheceu Charles, 12 anos mais velho. Ele tinha sido convidado por Sarah para um fim de semana na casa de campo da família, onde iriam caçar – uma atividade que aparece com frequência na quarta temporada. Foi lá que conheceu Diana.

Na entrevista coletiva concedida logo após o anúncio do noivado, em 1981, ele disse que ficou marcado por como Diana era divertida. Algum tempo depois, quando Charles já tinha terminado com Sarah, ele e Diana se encontraram na casa de um amigo em comum. Começaram a conversar e o namoro decolou.

Diana conta no documentário Diana, nas Suas Próprias Palavras (que também está na Netflix) que ela se mostrou muito empática com a morte de um familiar de Charles e que depois disso ele teria se entregado por completo. Eles se casaram quando Diana tinha 20 anos e ele, 32.

A princesa Anne já foi para as Olimpíadas?

Sim! Anne foi da equipe nacional de hipismo e conseguiu uma vaga para as Olimpíadas de 1976, em Montreal, no Canadá. Ela se tornou a primeira integrante da Família Real a atingir tal marco. A Rainha Elizabeth emprestou um cavalo seu, Godwill, para a competição e também foi assistir a filha, junto com o príncipe Philip, Charles, Andrew e Edward. Ela não ganhou nenhuma medalha, mas, anos depois, se tornou presidente da Associação Olímpica Britânica. Em seu país, ganhou medalhas de reconhecimento nacional. Sua filha, Zara, seguiu seus passos e também se tornou atleta olímpica.

Divulgação/Netflix

A morte de Dickie Mountbatten foi um atentado?

Sim, o IRA, grupo terrorista irlandês, assumiu a autoria do ataque, que ocorreu em 1979. Dickie era tio de Philip e muito próximo de Charles. Ele estava de férias em sua casa na Irlanda quando, num dia ensolarado, resolveu levar todos os convidados para um passeio de barco onde pegariam lagostas.

A bomba havia sido plantada na noite anterior e dois dos terroristas do IRA observaram enquanto o barco partia. A alguns metros do cais, ocorreu a explosão. Dickie morreu na hora. Seu neto de 14 anos e um garoto de 15 anos que estava ajudando no barco também morreram. No dia seguinte, a sogra da filha de Dickie também faleceu.

Seu velório aconteceu na Westminster Abbey, onde Charles fez um discurso televisionado de meia hora. Um dos terroristas ficou 19 anos preso o outro não foi condenado por falta de provas. No mesmo dia da morte de Dickie, o IRA armou uma emboscada para soldados britânicos que deixou 18 mortos e mais de 20 feridos.

Camilla se encontrou com Diana?

Na série, Camilla e Diana vão almoçar. Esse almoço aconteceu na realidade. Um dia, Diana recebeu uma mensagem de Camilla convidando-a para almoçar. As muitas biografias escritas discordam sobre a intenção das mulheres. A de Charles, escrita por Howard Hodgson, afirma que Camilla queria ser amistosa, pois achou que Diana faria Charles feliz.

Em uma biografia de Diana escrita por Tina Brown, contudo, a autora afirma que Camilla acreditava que Diana era ingênua e não atrapalharia sua relação com Charles, por isso teria apoiado a união.

Camilla sempre foi uma figura presente entre Diana e Charles. Após o noivado, no dia que Charles embarcaria em uma longa viagem para compromissos reais, Diana descobriu que ele havia telefonado para Camilla. Há fotos dela chorando no aeroporto.

Antes do casamento, ela descobriu uma pulseira que Charles teria feito para Camilla e quase cancelou toda a cerimônia. Há fontes que alegam que Diana procurou por Camilla entre os convidados no dia do casamento. Ela estava lá.

Segundo Andrew Morton, o mais famoso biógrafo de Diana, a princesa confrontou Camilla certa vez, em 1989. Ele diz que em depoimentos gravados em fitas, Diana teria falado que ensaiou tudo que queria falar para Camilla e que disse, durante uma festa, que sabia o que acontecia entre ela e Charles. Camilla teria dito: “Você tem tudo que sempre quis. Todos os homens do mundo se apaixonaram por você; tem dois filhos lindos. O que mais você quer?”. Diana teria respondido: “Meu marido”.

É verdade que o caso entre Charles e Camilla só foi retomado em 1986, mas, em uma entrevista famosa para o canal Panorama, em 1995, Diana disse: “Sempre fomos em três pessoas nesse casamento, era um pouco tumultuado”.

Divulgação/Netflix

Diana teve bulimia?

Segundo uma matéria da revista People, Diana teria gravado fitas falando sobre seus distúrbios alimentares. No áudio, ela afirma que a bulimia começou uma semana depois do noivado. A motivação seria, além da angústia com a relação de Charles e Camilla, um comentário do príncipe. “Ele colocou a mão na minha cintura e falou: ‘Estamos um pouco cheinhas, não?'”, afirma.

Do noivado até o casamento, Diana perdeu cerca de 15 centímetros no diâmetro da cintura. Demorou mais de dez anos para ela se tratar e se recuperar. Em uma entrevista para Martin Bashir, da BBC, em 1995, Diana disse que a bulimia era uma doença secreta, causada pela baixa autoestima.

“Você acha que não é digna, que não merece, que não tem valor. E encher seu estômago quatro ou cinco vezes por dia traz conforto”, diz ela. “É como um abraço, mas é temporário. Aí você fica horrorizada com seu inchaço e começa tudo de novo. É um padrão repetitivo de autodestruição.”

O filho de Margaret Thatcher desapareceu?

Mark Thatcher se perdeu no Deserto do Saara enquanto competia, junto com dois colegas, no Rali Dakkar. O trio ficou seis dias desaparecido em janeiro de 1982. A operação de buscas envolveu helicópteros, aviões e, anos depois, descobriu-se que a Primeira-Ministra britânica ainda financiou parte da busca para não ser acusada de usar recursos públicos para procurar o filho.

O trio foi encontrado com saúde, pois tinham estoque de comida e água. Eles estavam mais de 50 quilômetros fora da rota do rali.

Continua após a publicidade
Netflix/Reprodução

Um homem realmente invadiu o quarto da Rainha?

Sim, em 1982, um homem invadiu o Palácio de Buckingham duas vezes. O pintor e decorador Michael Fagan, 33 anos, estava desempregado e deprimido porque sua mulher o havia deixado. Um dia, vagando pela cidade, ele escalou um cano e passou por toda a segurança do Palácio.

Há relatos que ele teria até cumprimentado algumas pessoas que encontrou no caminho. Michael achou uma janela destrancada no quarto de uma funcionária e entrou. Ele estava de calça jeans e descalço, pois perdeu seus sapatos no telhado.

A funcionária teria corrido pedindo ajuda, mas a equipe de segurança não achou ninguém e até duvidou da palavra dela. Michael andou pelo castelo por mais de uma hora, comeu bolachas com queijo. Segundo um relato que ele mesmo deu ao Islington Gazette, em 2018, ele teria encontrado uma sala cheia de presentes para o recém-nascido príncipe William.

Sem achar um banheiro, Michael fez xixi na comida dos corgis criados pela rainha. Ele ainda bebeu uma garrafa de vinho que encontrou, achou a sala do trono e admirou as obras de arte dispostas no palácio.

Posteriormente, Michael tentou outra vez a invasão e, novamente, conseguiu. Dessa vez, ele foi direto ao quarto da rainha, mas ele mesmo diz que não sabe como chegou lá. Ele se lembra do quarto ser mais simples e menor do que ele imaginava que seria.

Michael entrou no quarto, espiou entre as cortinas da cama com dossel e encontrou a rainha alarmada. “O que você está fazendo aqui?”, teria dito ela antes de acionar um alarme e sair correndo. Michael foi levado a uma instituição para cuidados de pessoas com doenças mentais, mas logo saiu. Diz ele que o segurança que o encontrou ainda o serviu um copo de uísque antes da polícia chegar.

Por anos, Michael disse que ele teria ficado cerca de dez minutos conversando com a rainha e que ela estaria com uma camisola até os joelhos com estampas Liberty, mas depois desmentiu essa versão.

A Família Real escondeu primas com doenças mentais em um asilo?

A princesa Margaret enfrentou diversas crises pessoais, incluindo uma turbulenta vida amorosa. Logo no começo de The Crown, ela, ainda criança, fala que deveria ser a rainha em vez de Elizabeth. Sua personalidade extrovertida era um marco.

Com o passar dos anos e o crescimento dos filhos de Elizabeth, contudo, ela fica cada vez mais distante na linha sucessória e perde funções. A ansiedade, as crises e o sentimento de ser inútil a levam a uma consulta psiquiátrica.

É ali que ela descobre que teria primos com doenças mentais. Quando vai investigar a fundo, descobre que a família esconde há anos algumas pessoas em asilos.

Hoje, sabe-se que cinco primos de Elizabeth foram levados a um asilo em 1941 – registros mostravam que as últimas visitas a eles haviam ocorrido nos anos 1960. Esses primos pertenciam ao lado da mãe de Elizabeth, os Bowes-Lyon. A causa da doença é genética, mas especialistas afirmam que nada disso teria chegado à Família Real.

Dois dos primos eram dados como mortos. Porém uma viveu até 1985 e a outra faleceu nos anos 2010. Nerissa, morta em 1985, foi enterrada em uma vala com seu nome escrito numa placa de plástico junto a um número de série. Quando os jornais descobriram, virou um escândalo.

A mãe de Elizabeth diz que não sabia, mas, após a revelação, ela teria enviado presentes e dinheiro – levando a mídia a pegar mais leve nas críticas. Apesar disso, ela nunca foi visitar as familiares. A história é contada em um documentário, The Queen’s Hidden Cousins.

Divulgação/Netflix

Diana dançou para Charles no aniversário dele?

Diana dançou para Charles, mas ela considerou um presente de Natal. Era uma noite de gala só para apreciadores do Royal Ballet e amigos da Família Real. Charles é um apoiador das artes, conhecido por sua sensibilidade. Ele sempre frequentou a ópera e o teatro.

Em 1985, de surpresa, Diana ensaiou com Wayne Sleep, um bailarino, e apresentou no palco uma coreografia para Uptown Girl, de Billy Joel. O documentário Diana: The Woman Inside (2017) mostra que Charles não gostou da apresentação e achou que foi um episódio exibicionista de Diana.

O que é Commonwealth? Ainda existe?

Commonwealth é a comunidade formada pelo Reino Unido, nações que já foram colônias inglesas e outros países. Foi criada para promover a democracia, o desenvolvimento econômico e assegurar os direitos humanos das populações. Hoje, são 53 países. Os Estados Unidos não fazem parte, assim como 15 das nações da qual Elizabeth é chefe de estado.

Instagram/Reprodução

 

Veja Também:

Nós já vimos a quarta temporada de “The Crown”. Veja o que achamos

Charles teria dito a Diana que não a amava na véspera do casamento

Após pedido recusado, Harry se diz triste e desapontado com Família Real

Estou com câncer de mama. E agora?

Continua após a publicidade
Publicidade