Clique e assine com até 75% de desconto

Exposições inéditas da Japan House propõem devaneios encantadores

Mostra fotográfica de Naoki Ishikawa e criações do estilista Tomo Koizumi serão exibidas na reabertura da instituição em São Paulo, nesta terça-feira (20)

Por Letícia Paiva Atualizado em 19 out 2020, 14h48 - Publicado em 19 out 2020, 11h00

Cada peça que compõe as mostras da Japan House, em São Paulo, viaja milhares de quilômetros desde o Japão. O trabalho de montagem se desenrola por meses ou até anos antes de se tornar visível ao público. Contudo, na maior parte deste ano, tamanha riqueza foi acessível apenas por nossas telas. Enquanto isso, nos bastidores, a instituição, inaugurada em 2017 para exibir a contemporaneidade nipônica, seguiu trabalhando para que o retorno físico fosse repleto de leveza e esperança. Neste mês, a capital paulista atinge a última fase da flexibilização e o centro cultural já vinha aguardando pronto para reabrir, seguindo as adaptações exigidas pelas autoridades.

Foto analógica de Naoki Ishikawa em Yonaguni-Jima, em 2009 Naoki Ishikawa/Divulgação

“A volta será sem fila na porta, algo que nos emocionava antes”, garante a diretora cultural Natasha Barzaghi Geenen. Para este momento tão especial, as obras geniais de dois artistas ganham os holofotes. A exposição Japonésia apresenta uma seleção fotográfica de Naoki Ishikawa, um relato de viagens às 20 ilhas que formam o país. A mostra O Fabuloso Universo de Tomo Koizumi é dedicada ao jovem designer, que tem ganhado o mundo ao usar até uma centena de metros de organza japonesa para criações de moda. “O desejo é que as pessoas saiam daqui com a perspectiva de que voltaremos a ter festa, celebração e cor”, conta Natasha. As exposições podem ser observadas a partir desta terça-feira (20) mediante agendamento pelo site ou espontaneamente, com limite de visitantes.

O designer Tomo Koizumi criou três peças exclusivamente para a mostra, que estarão ao lado de outras dezenas – esta é da coleção de outono de 2019, desfilada na Semana de Moda de Nova York Alisson Louback/Divulgação
  • O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

    Continua após a publicidade
    Publicidade