CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

5 filmes dirigidos por mulheres que você precisa ter em casa

Kathryn Bigelow, Greta Gerwig e Mary Harron proporcionaram contribuições históricas para o cinema

Por Kalel Adolfo Atualizado em 16 fev 2022, 16h47 - Publicado em 17 fev 2022, 08h39

As mulheres sempre trazem um senso de profundidade e complexidade valiosos quando dirigem quaisquer filmes. Nos últimos anos, Greta Gerwig vem se destacando ao comandar dramas profundos sobre a existência humana. Na década passada, Kathryn Bigelow se tornou a primeira mulher a vencer a estatueta de Melhor Direção no Oscar com Guerra ao Terror, que pertence a um gênero predominantemente masculino. Além, é claro, de Mary Harron, que entregou um dos suspenses mais icônicos de todos os tempos com Psicopata Americano.

Para celebrá-las, separamos alguns longas dirigidos por mulheres que você precisa assistir – ou mesmo rever pela milésima vez, todos disponíveis na Amazon. Confira:

Lady Bird

Lady Bird é um dos melhores coming of age – subgênero cinematográfico que retrata a transição da adolescência para a vida adulta – dos últimos anos. Dirigido por Greta Gerwig e protagonizado por Saoirse Ronan, o longa acompanha Christine, que está no último ano do ensino médio e deseja estudar em uma faculdade localizada em outro estado. Sua mãe rejeita intensamente a ideia, fazendo com que as duas convivam de forma turbulenta. Enquanto enfrenta esses conflitos familiares, a jovem vive o primeiro amor, as obrigações do colégio católico e a autodescoberta.

Rafiki

Rafiki é uma obra impactante por inúmeros motivos: além de ser dirigida pela incrível Wanuri Kahiu, a produção é o primeiro longa-metragem do Quênia a ser exibido no Festival de Cannes. Na trama, as jovens Kena e Ziki vivem uma intensa paixão, mesmo pertencendo a famílias que são rivais políticas e vivendo num país onde a homossexualidade é criminalizada.

Continua após a publicidade

Precisamos Falar Sobre Kevin

Precisamos Falar Sobre Kevin é um dos dramas mais sufocantes deste século. Na história, acompanhamos o crescimento e desenvolvimento psicológico de Kevin, que lida com o transtorno de personalidade antissocial – conhecido popularmente como psicopatia. Eva, mãe do garoto, nunca quis ser mãe e acaba tendo um relacionamento complicado com o filho. Todos esses fatores combinados fazem com que uma tragédia irreparável aconteça. Dirigido por Lynne Ramsay.

Guerra ao Terror

A cineasta Kathryn Bigelow entrou para a história com Guerra ao Terror: graças ao seu trabalho no filme, ela se tornou a primeira mulher a vencer a estatueta de Melhor Direção no Oscar. Isso aconteceu em 2010 e, desde então, apenas Chloe Zhao (Nomadland) repetiu o feito. A obra acompanha alguns especialistas em bombas que estão trabalhando em Bagdá. Conforme a missão vai chegando ao fim, os homens precisam enfrentar o fato de que talvez não voltem para a casa, já que uma explosão é praticamente inevitável.

Psicopata Americano

Psicopata Americano é um dos grandes clássicos dos anos 1990. Porém, muitos podem não saber que a produção icônica e satírica foi dirigida por uma mulher: Mary Harron. Estrelada por Christian Bale, a história segue Patrick Bateman, um yuppie de Wall Street que busca ser perfeccionista em todos os aspectos de sua vida. Apesar de aparentar não ter defeitos, o protagonista é um assassino em série que mata as suas vítimas de forma aleatória, implacável e extremamente cruel.

*Os links gerados podem render algum tipo de remuneração para a Editora Abril. Os preços foram consultados na quarta-feira (16), e podem estar sujeitos a alterações.

Continua após a publicidade

Publicidade