Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Denise Steiner Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por DERMATOLOGIA
A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp
Continua após publicidade

Doenças de pele do verão

Micoses são os grandes transtornos desta época do ano. Conheça e saiba tratar

Por Denise Steiner
29 dez 2022, 07h40

O verão é um período em que as pessoas têm mais lazer e tomam mais sol. Para que não haja problemas, principalmente nas férias e também o período seja seguro e com muito divertimento, valem algumas dicas e conheça as doenças de pele mais comuns.  

Micoses: as doenças de pele do verão

As micoses são doenças superficiais da pele, causada por fungos e leveduras. Estes fungos crescem com facilidade no calor e umidade, são muito ativos no verão. Há inúmeros tipos de micoses que comprometem as pessoas em quase todas as idades.

A micose pode ocorrer no couro cabeludo, pele do corpo, mãos, pés e também nas unhas. A mais comum no verão é a micose chamada pitiríase versicolor. Trata-se de manchas brancas, arredondadas com discreta descamação que aparecem principalmente no pescoço, braços e costas. Ela não arde e não coça, mas deixa um aspecto inestético e constrangedor.

As manchas brancas podem espalhar pelo corpo todo e estas áreas não ficam bronzeadas. O tratamento é feito com cremes antifúngicos tópicos ou orais. Deve-se utilizar xampus adequados, pois o fungo também fica no couro cabeludo. 

Os cuidados importantes são:

– Não permanecer com roupa úmidas por um longo tempo.

Continua após a publicidade

– Secar bem toda a pele, principalmente as dobras, deixando-as bem arejadas .

– Fazer o tratamento correto até a cura pois é fácil o fungo crescer novamente.

Após o tratamento as manchas brancas precisam ser estimuladas pelo sol.

Outras micoses comuns são aquelas causadas pelos fungos chamados dermatofitos e que comprometem a pele e também os pés e, nos homens, a virilha. Neste caso ocorrem placas vermelhas redondas, com bordas elevadas e descamação ou crostas. As lesões coçam e aumentam com facilidade.

Na virilha, pode haver lesões bem avermelhadas com verdadeiras bordas elevadas e geográficas e também maceração e aspecto de assadura. Nos pés, podem ocorrer até bolhas que coçam muito e descamação. 

Continua após a publicidade

As frieiras entre os dedos do pé também são comuns e contaminam os espaços comunitários. 

As micoses são muito contagiosas e este é um motivo pelo qual deve haver o exame médico prévio ao frequentar as piscinas. Os cuidados são os mesmos, secando muito bem tanto a virilha, como entre os dedos dos pés. O tratamento deve ser feito pelo médico. Evite a automedicação. 

Os corticoides melhoram o quadro, mas mascaram o crescimento dos fungos. Além disso há também o perigo de aparecerem estrias com o uso indiscriminado do corticoide, principalmente nas dobras. A lesão dura cerca de 10 dias, deixando a área vermelha e manchada. 

Cuide-se!

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

O mundo está mudando. O tempo todo.
Acompanhe por CLAUDIA e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.

Acompanhe por CLAUDIA.

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.