Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Skin picking: o que está por trás da síndrome que causa lesões na pele?

Especialistas revelam as principais causas e tratamentos do transtorno que virou assunto nas redes sociais

Por Sarah Brito
11 jun 2024, 17h00

Não é de hoje que o termo skin picking tem causado diversas polêmicas na internet. Considerado um dos assuntos mais comentados nas redes sociais nessas últimas semanas, o transtorno de skin picking ou transtorno de escoriações (TE)  tem reunido diversos relatos e depoimentos nas redes após alguns sintomas do transtorno viralizarem entre os internautas. 

E para investigar o que está por trás da viralização desse sintomas, conversamos com os especialistas, Bruno Pascale, médico psiquiatra da Secretaria Municipal do Rio de Janeiro, e com a psicóloga Larissa Fonseca, especialista em ansiedade, depressão e estresse para desvendar as principais dúvidas, sintomas e os tratamentos iniciais que envolvem o transtorno de skin picking. Confira:

O que é skin picking?

Segundo Dr. Bruno, o transtorno de skin picking nada mais é do que um quadro psíquico que acomete um paciente através de atos impulsivos sobre o seu corpo, de maneira não intencional e acarretada por outros quadros neuro divergentes como a depressão e a ansiedade.

Skin picking: o que está por trás da síndrome que causa lesões na pele?
Segundo Bruno Pascale Cammarota, médico psiquiátrico especilista em transtorno, doenças como ansiedade e depressão podem sim estar ligados ao desenvolvimento do transtorno de skin picking (Pexels/Reprodução)

“Esse quadro está muito ligado a pessoas que já sofrem com outros diagnosticados, porém em condições elevadas. Esse indivíduo tem a necessidade de procurar aliviar a sua dor e sofrimento através da impulsividade de se machcuar, promovendo lesões durante uma liberação massiva de dopamina em momentos de crises”, explica o psiquiatra.

Continua após a publicidade

Bruno ainda comenta que para além do rosto – local mais comentado entre os internautas após a viralização – existem outros locais do corpo, como a barriga, coxas e braços, que podem ser alvos da impulsividade causada pelo skin picking.

“Em geral, a escoriação começa, principalmente com a fricção dos dedos, seguido pela fricção da palma até o dorso da mão. Em casos mais graves, é possível visualizar aplicações no abdômen, coxas, nos braços e até no rosto, causando baixa autoestima, desordem emocional severa e infecções locais devido ao constante atrito”, comenta.

Skin picking: o que está por trás da síndrome que causa lesões na pele?
Coceira excessiva, automutilação como morder os lábios ou machucados ao corpo são alguns dos sintomas presente no cotidiano de um paciente com transtorno de escoriações (Pexels/Reprodução)

Já os sintomas mais leves, segundo Larissa Fonseca, médica psicóloga especialista em ansiedade e outros transtornos semelhantes ao skin picking, reitera que esses comportamentos podem sim ser associados à quadros menos severos de quem convive com a ansiedade e depressão no dia a dia.

Continua após a publicidade

“Algumas lesões, como por exemplo puxar a pele da cutícula das unhas, morder os lábios e/ou coçar de maneira excessiva podem ser hábitos ligados à escoriação, porém em situações menos destrutivas, mas que não deixam de ser um reflexo da saúde mental”, pontua.

“Esses machucados levam ao constrangimento, isolamento e preocupações com o julgamento dos outros, o que afeta diretamente na autoconfiança do paciente e de sua imagem”, explica Larissa.

Existe tratamento para o skin picking?

Apesar das consequências, ainda segundo os especialistas, estarem diretamente ligadas a outros diagnósticos envolvendo a saúde psíquica, o tratamento para o transtorno de skin picking deve ser acompanhado por um médico psiquiatra para averiguar a sua causa e o início dessa compulsão.

“Dependendo da gravidade dos machucados, é necessário a entrada de um tratamento que envolva medicamentos. É importante também analisarmos o que está acontecendo com esse paciente, se ele possui histórico de traumas relacionados a sua autoestima e quais as repercussões psíquicas que ele está tendo por conta dessa condição. É complexo porém exige muita análise de um profissional adequado”, pontua o médico psiquiatra.

Continua após a publicidade

Skin picking: o que está por trás da síndrome que causa lesões na pele?

Para além de um acompanhamento psiquiátrico, Larissa também reforça a importância do acompanhamento psicológico como tratamento para o transtorno skin picking, que poderá auxiliar na diminuição dos machucados e também no reconhecimento do que é impulso e controle. 

“Será durante sessões de terapia que a pessoa irá desenvolver, ao lado de um profissional, claro, um plano para lidar com as situações de sofrimento intenso, identificando quais são os gatilhos específicos e assim, desenvolver estratégias de enfrentamento eficazes contra as automutilações involuntárias”, revela. 

Skin picking: o que está por trás da síndrome que causa lesões na pele?
Com ajuda psicológica e psiquiátrica, pacientes com transtorno de escoriações poderão encontrar tratamentos eficazes contra a compulsão do ato de se machucar involuntariamente (Pexels/Reprodução)

“Esse paciente vai aprender a reconhecer, aos poucos, e a aceitar os pensamentos e as emoções desconfortáveis sem recorrer ao comportamento de escoriação, ao passo que se concentra em comportamentos que são importantes e significativos para ele, como socializar, desenvolver uma carreira e se sentir mais próximo de sua autoestima”, finaliza a psicóloga.

Nem todo machucado é skin picking

Apesar da prática de “cutucar” a pele do corpo e rosto serem frequentes em nossas rotinas, Bruno faz um alerta: “Ter o transtorno de skin picking é diferente de você cutucar a pele para tirar uma espinha ou cravo. Esse alerta deve ser feito caso o ato de se machucar for de forma incessante e involuntária”, esclarece o psiquiatra.

Skin picking: o que está por trás da síndrome que causa lesões na pele?
Fique atento a sinais como machucados frequentes e sem motivos aparentes. Procurar um profissional poderá ajudar na investigação por trás da causa (Pexels/Reprodução)

Portanto, se você perceber qualquer sinal de machucados frequentes em diversas partes do corpo como boca, dedos, coxas ou barriga, verifique a frequência e a causa desses machucados. A procura de um médico especialista deve ser feita de forma imediata, afim de investigar os motivos por trás desses ferimentos. 

Continua após a publicidade

“Nossa mente é uma máquina de emoções. A construção de uma rotina saudável e equilibrada pode contribuir significativamente para a redução dos comportamentos de skin picking e da ansiedade de várias maneiras. Os sinais são indispensáveis, não os ignore!”, finaliza.

Assine a newsletter de CLAUDIA

Receba seleções especiais de receitas, além das melhores dicas de amor & sexo. E o melhor: sem pagar nada. Inscreva-se abaixo para receber as nossas newsletters:

Acompanhe o nosso Whatsapp

Quer receber as últimas notícias, receitas e matérias incríveis de CLAUDIA direto no seu celular? É só se inscrever aqui, no nosso canal no WhatsApp

Acesse as notícias através de nosso app 

Com o aplicativo de CLAUDIA, disponível para iOS e Android, você confere as edições impressas na íntegra, e ainda ganha acesso ilimitado ao conteúdo dos apps de todos os títulos Abril, como Veja, Superinteressante e Capricho. 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.