CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Mitos e verdades sobre o uso do café para crescimento capilar

Misturinhas caseiras, ingestão de café e cosméticos industrializados. A cafeína realmente ajuda no projeto Rapunzel?

Por Ligea Paixão (colaboradora) Atualizado em 14 Maio 2021, 14h42 - Publicado em 14 Maio 2021, 14h28

Há alguns anos, a discussão envolvendo o uso da cafeína para o crescimento capilar tomou conta do universo da beleza, seja pelos produtos industrialmente elaborados ou pelas misturas caseiras, que prometem o estímulo e o fortalecimento dos fios. No entanto, o uso do café para tal fim ainda é cercado de mitos e verdades.

É importante destacar que, sim, a cafeína realmente é um estimulante para o crescimento dos cabelos, chegando a ser indicada para pessoas acometidas pela calvície.

“A cafeína apresenta propriedades extremamente benéficas para o estímulo fisiológico do ciclo capilar e o funcionamento folicular, otimizando sua atividade”, explica Jackeline Alecrim, farmacêutica especializada em saúde pública, cosmetologia e produtos naturais.

A especialista ainda afirma que a substância é essencial na inibição de uma enzima que provoca o enfraquecimento dos fios e, consequentemente, a calvície. Além disso, ela ainda apresenta uma função protetora para as células do folículo, o que ajuda na qualidade dos fios também.

No entanto, há um segredo! O café só possui todas essas propriedades quando o produto formulado é aplicado diretamente no couro cabeludo. Então, se até hoje, você acreditou que o simples fato de ingerir a bebida já surtia efeito, informamos que isso é um grande mito.

“Não existem evidências científicas que correlacionem o uso oral da cafeína aos efeitos, somente por meio da via folicular (localizada no couro cabeludo), que é considerada a mais rápida e efetiva na disponibilização da cafeína para ação benéfica do ciclo capilar”, defende Jackeline.

Continua após a publicidade

E as misturinhas caseiras?

Cabelo

“Misturar café em formulações cosméticas não é uma boa ideia, já que as grandes partículas podem causar obstrução no couro cabeludo, distúrbios de oleosidade e até mesmo queda capilar”, alerta a especialista.

Segundo Jackeline, a eficácia do produto depende de uma combinação exato de tamanho e concentração dos ativos, além de um meio específico para que a absorção e ação aconteçam. “No café existem milhares de substâncias, sendo que algumas são benéficas e outras com o potencial de prejudicar o ciclo capilar”, explica.

Na dose certa

Como explicamos, os produtos com a cafeína em sua matéria-prima são seguros e eficazes, mas também exigem cautela.”Se a utilização for apenas para tratar o enfraquecimento ou problemas transitórios com o cabelo, o uso pode ser interrompido após o controle, até para não ressacar o cabelo. Porém, se for utilizada para tratar patologias crônicas, como a calvície, o uso deve ser contínuo, auxiliando assim não na cura da doença, mas no tratamento da mesma”, aconselha.

Além do cabelo

Engana-se quem acha que os benefícios da cafeína estão ligados apenas aos cabelos. A substância também ganhou grande destaque no ramo da beleza, já que apresenta, dentre outras atividades, ação antioxidante e auxilia na circulação sanguínea da pele.

A cafeína demonstrou atividade positiva para o tratamento de celulite e flacidez, além de já ser utilizada em formulações de proteção solar por reduzir os efeitos induzidos pela radiação UV na pele.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade