Rafa Vitti dá melhor resposta sobre 1º presente da filha ser “de menino”

"Crianças são crianças, merecem um ambiente de liberdade e tolerância!", enfatizou o ator em uma resposta de comentário no Instagram.

A gestação de Tatá Werneck tem sido um assunto recorrente no Instagram do futuro papai Rafa Vitti, com direito a muitas declarações para a gravidinha do momento. Só que, nesta quarta-feira (1), a situação foi um pouco diferente. O ator usou a rede social para dar uma resposta importante a uma internauta que comentou sobre o primeiro presente comprado para a filha ser “coisa de menino”.

A situação aconteceu assim que Rafa publicou a imagem de uma bota de plástico do Batman, que foi comprada para a pequena que está a caminho. “Eu queria não ser um pai consumista, mas fica difícil quando a gente vê coisitas assim… levei a galochinha”, escreveu o papai na legenda, com a pergunta em seguida se mais alguém passava pelo mesmo. 

Entre respostas divertidas sobre como comprar presentes para os filhos parece ser realmente inevitável, uma seguidora questionou Rafa sobre a bota não ser de menino. “Do Batman? Para uma baby girl? Como assim?”, indagou a internauta. 

O comentário por si só criou bastante rebuliço entre quem acompanha o ator, só que a melhor resposta foi dele mesmo. Sem medo do famoso textão, Rafa deixou claro que para ele, e para Tatá, não existe essa ideia (estranha) de que objetos são divididos por gênero, especialmente quando são produtos para crianças.

“Temos que parar com essa ideia de ‘coisa de menino’, ‘coisa de menina’… Isso limita as possibilidades. Já existem muitos estudos que falam sobre como esse tipo de pensamento prejudica no desenvolvimento das crianças. Às vezes, uma menina tem muita aptidão para futebol e poderia ser uma excelente jogadora, mas como ela vai poder desenvolver essa habilidade se futebol é ‘coisa para menino’?”, questionou o ator em um ótimo momento, já que esse ano a Seleção Brasileira deu um show na Copa do Mundo Feminina 2019, né?

No fim, ele deixou um recado muito importante para a criação dos baixinhos: “crianças são crianças, merecem um ambiente de liberdade e tolerância!”.

 (/)

Realmente, Rafa, falou tudo!