CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Filhos gays: como os pais podem vencer o preconceito

Seu filho revelou que é gay? Saiba como ajudá-lo a se aceitar e mantenha a família unida, feliz e sem preconceito

Por Redação M de Mulher Atualizado em 17 jan 2020, 14h39 - Publicado em 12 jul 2011, 21h00

Lembre-se sempre: ser homossexual não é uma escolha
Foto: Gatty Images

De repente, seu filho mudou. Está ausente, fala pouco, parece pedir ajuda. Você sabe que ele está angustiado, mas tem medo de perguntar motivo. Até o dia em que ele desabafa: “Mãe, sou gay”. “Onde eu errei?”. “O que vão dizer?”.  Não questione nada disso. Qualquer palavra errada nessa hora pode doer mais do que uma surra de homofóbicos (quem tem aversão a gays) na rua.

O coração não escolhe

Pense bem. Você sempre sonhou que seu filho encontraria uma pessoa bem-sucedida, de bom caráter, inteligente para amar. E se essa pessoa for do mesmo sexo? “Lembre-se: ser gay não é uma opção, ninguém escolhe a quem desejar. O desejo nasce e pronto”, orienta Claudio Picazio, psicólogo com especialização em sexualidade humana, autor do livro Uma Outra Verdade – Perguntas e Respostas para Pais e Educadores sobre Homossexualidade na Adolescência (Ed. GLS).

Pense que já bastam os obstáculos que seu filho enfrentará, então, não seja mais um na vida dele. O que importa mais: a felicidade dele ou o que os outros vão falar? Ofereça a mão a seu filho, dê colo quando ele precisar e, juntos, vocês vencerão o preconceito.

De quem é a responsabilidade?

Muita gente pensa que um filho gay é o resultado de mães superprotetoras ou pais ausentes. “Ser homossexual não é uma escolha”, enfatiza Claudio. Então não é nada que você tenha feito de errado na infância dele, não foi falta nem excesso de zelo.

Qual ajuda que posso oferecer pra ele sair do armário?

O ideal é manter uma relação aberta com seu filho desde a infância, conversar e responder com naturalidade às perguntas mais constrangedoras.

Continua após a publicidade

E também não dizer frases preconceituosas. Por exemplo, ao ver um casal homossexual na novela, não julgue: “Isso é falta de vergonha, é pecado”.

Como ajudá-lo a superar o preconceito

Em casa: ao descobrir que o filho é gay, a maioria das mães prefere esconder a revelação do pai. “É preciso conversar com o pai e juntos darem suporte ao filho”, orienta Claudio.

Na família: nada de fazer seu filho consolar você depois que aquela tia fez piadinha porque ele é gay. Você tem que se fortalecer para apoiar seu filho.

Na escola, no cursinho ou na faculdade: não é porque o menino é frágil e a menina não anda só de cor-de-rosa que eles são homossexuais. A certeza costuma aparecer na puberdade, com o aumento da atividade hormonal. Agora, se o jovem é diferente dos colegas e sofre na mão deles, sugira à escola palestras contra homofobia e de promoção da educação sexual.

Boas respostas pra gente xereta

Seu filho não vai lhe dar netos! Ué, por que não? Se ter filhos for um desejo para ele e seu companheiro, ele pode adotar uma criança ou fazer inseminação artificial em uma amiga. Se eu quiser muito uma criança, eu mesma posso providenciar uma.

O menino foi mal encaminhado? Ele está no caminho certo para ser feliz.

Ele é assim porque você o mimou demais! Excesso de amor não torna ninguém homossexual, só desenvolve a capacidade de a pessoa amar.
 

Continua após a publicidade

Publicidade