‘Extremamente arrependidos’, diz defesa de casal que agrediu criança

A violência aconteceu depois que um dos garotos envolvidos se machucou durante uma partida de futsal

A defesa de Danielle Cavalcanti e Alexandre Campos de Jesus, casal que foi flagrado por câmeras de segurança de um condomínio em Brasília agredindo um menino de 6 anos, divulgou uma nota, na sexta-feira (14), afirmando que o casal está “extremamente arrependido da fatalidade”.

De acordo com o comunicado assinado pelo advogado Rafael Pitzer, os dois “foram tomados por violenta emoção” após presenciarem o filho com o “rosto deformado, boca e lábios sangrando muito”. A nota diz ainda que Alexandre e Danielle foram informados por testemunhas de que os machucados do filho foram causados por uma outra criança. O advogado dos dois escreveu que o menino não conseguia falar devido aos ferimentos. Por esse motivo, eles teriam sido tomados “por violenta emoção”.

O texto cita também os pais “sempre buscaram dar uma boa educação para seus filhos pautada no diálogo e respeito para com o próximo”.

A mãe de Danielle Cavalcanti, saiu em defesa da filha. Em entrevista à TV Globo, Schirley Cavalcanti dos Santos disse que Danielle agiu no calor do momento e negou as agressões. 

“Em momento nenhum eles bateram. Ela agiu no afã do momento, gente. Pelo amor de Deus”, declarou. As imagens, porém, mostram o marido de Danielle segurando a criança para que o filho bata no rosto dele. Em seguida, Danielle surge e empurra o garoto, que cai no chão.

Questionada sobre as imagens, Schirley diz que a culpada pode ser a criança. “Tudo bem, mas vocês sabem se ele xingou ela? Ela só empurrou porque ele xingou ela.”

Entenda o caso

No último domingo (9), um casal agrediu um garoto de 6 anos porque achou que ele teria machucado seu filho. A criança, no entanto, caiu sozinha quando tentava fazer um drible com uma bola, mostram as imagens.

Jucinea das Mercês Nascimento, tia do garoto agredido, registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). O sobrinho visitava parentes no prédio.

Leia mais: “Ela só empurrou porque ele xingou”, diz mãe de mulher que agrediu menino

+ Justiça decreta prisão de João de Deus