CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Coluna da Cynthia de Almeida: “Não sei se quero ser chefe”

O que fazer se pintou uma promoção, mas você está satisfeita com a posição atual e não se sente preparada para ocupar um cargo de chefia? Nossa colunista de carreira, Cynthia de Almeida, responde

Por Cynthia de Almeida Atualizado em 26 out 2016, 11h04 - Publicado em 9 ago 2016, 18h18

“Trabalho em uma empresa multinacional e minha chefe acaba de ser convidada para assumir um posto em outro país. Ela gosta muito do meu trabalho e me indicou para ficar no seu lugar. Estou feliz pelo reconhecimento, mas não sei se estou preparada. Tenho medo de não ser aquilo que os outros acham que eu sou e fracassar… Estou tão bem onde estou!”

Você está bem onde está e pode ficar melhor ainda no lugar da sua chefe, acredite. A sensação de não estar à altura de determinada função é uma armadilha auto-imposta pela grande maioria das mulheres no mercado corporativo. Chama-se “síndrome da fraude” e funciona assim: nem sei como cheguei até aqui, se der mais um passinho pra cima vão olhar para mim, descobrir que realmente sou uma fraude e me demitir! Na esmagadora maioria dos casos, isso não é verdade. O que acontece de verdade é que temos medo do desconhecido. Quem teme sair da zona de conforto não se dá o direito de ampliar seu horizonte. Ficar no lugar da sua chefe pode parecer desafiador, mas certamente será mais gratificante em termos de realizações profissionais e de remuneração. Converse com ela e não tenha medo de expor sua apreensão. Uma mulher que vai assumir um posto em outro país também deve ter seus temores sobre o que vai enfrentar, só que conseguiu vencê-los. Siga a líder.

Cynthia de Almeida é colunista de CLAUDIA e escreve aqui no site semanalmente. Mande sua dúvida de carreira para ela!

Publicidade