Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Medidas simples para ficar livre da sinusite

Não seja uma vítima da sinusite no próximo inverno. Veja algumas medidas simples que podem ajudá-la

Por Redação M de Mulher - Atualizado em 15 jan 2020, 22h50 - Publicado em 6 jun 2013, 21h00

Na época do frio, o número de pessoas com sintomas de sinusite triplica
Foto: Getty Images

Dor de cabeça, pressão no rosto, nariz entupido e sensação de mal-estar. Com a chegada dos dias mais frios do ano, o número de pessoas que sofre com os sintomas da sinusite triplica. “O tempo seco, as gripes e resfriados, mais comuns nessa época, facilitam os quadros de sinusite, diz o otorrinolaringologista Fabrízio Romano. Processos alérgicos, como a rinite, também não deixam por menos e aumentam as chances de ocorrer o desconforto. Como prevenir é sempre o melhor remédio, confira algumas dicas para respirar bem e aliviada neste inverno!

AGUDA X CRÔNICA

Se os sintomas da doença durarem até 12 semanas, ela é aguda. “O tratamento é feito com antibióticos, lavagem nasal e anti-inflamatórios”, diz Romano. Mais do que esse tempo, ela é crônica. Os sintomas podem diminuir, mas não somem. Em geral, as pessoas têm alguma alteração anatômica, como desvio de septo, de acordo os médicos.

Continua após a publicidade

ENTENDENDO O PROBLEMA

Dentro dos ossos que ficam ao redor do nariz, das maçãs do rosto e dos olhos, temos cavidades (também chamadas de seios da face) que se comunicam com o nariz e são revestidas por uma mucosa. O problema está exatamente aí. “A sinusite é uma inflamação da mucosa do nariz e dos seios da face, que pode ser causada por vírus, bactérias e alergias, por exemplo”, explica Romano. Quando a mucosa dessas cavidades está inchada, a comunicação com o nariz fica bloqueada e a produção de secreção aumenta, o que provoca pressão e dor, sintomas conhecidos de quem já teve sinusite. Para piorar, a secreção que fica presa é um prato cheio para a proliferação de bactérias.

AI, MINHA CABEÇA

Quem já sofreu com sinusite conhece a dor que ela provoca na testa, nos olhos e no maxilar. “O desconforto tende a piorar quando se abaixa a cabeça”, diz Romano. Se identificou? Procure um médico para se ver livre desse aperto.

Continua após a publicidade

PREVINA-SE

Hábitos que a ajudam a passar ilesa das gripes, resfriados e alergias que podem causar sinusite.

– Lave bem as mãos.

– Consuma, em média, 2 litros de água por dia.

Continua após a publicidade

– Deixe os ambientes sempre ventilados e limpos, evitando poeira.

– Fique longe do cigarro e do ar condicionado.

– Durma e alimente-se bem.

– Mantenha o nariz limpo, fazendo lavagens com soro fisiológico.

Continua após a publicidade

TRÊS TIPOS DE SINUSITE

1. Viral

É a mais frequente. “Provocada em geral pelos mesmos vírus que causam as gripes e os resfriados. Quando esses casos se complicam, os vírus podem atingir os seios da face, dando origem à sinusite”, esclarece Romano. Além do nariz entupido e da coriza transparente, comuns nos resfriados, os sintomas da sinusite viral incluem febre baixa e um pouco de dor de cabeça, segundo Romano. Eles podem durar até sete dias e o tratamento é feito à base de lavagem nasal e de medicações como analgésicos, antitérmicos e descongestionantes. Mas é melhor não descuidar. “As sinusites virais podem evoluir para as bacterianas se não forem tratadas”, diz o especialista Romano. Ela só pode ser aguda.

2. Bacteriana

Continua após a publicidade

Essa sinusite ocorre após uma crise alérgica ou um resfriado mal resolvido. “A causa ainda pode ser simplesmente uma infecção por bactérias”, ressalta Tamiso. “Os sintomas, que duram mais de sete ou dez dias, são secreção amarelada ou esverdeada, nariz entupido (às vezes de um lado só), dores de cabeça e tosse”, afirma Romano. Sinusites bacterianas podem ser agudas ou crônicas.

3. Fúngica

O tipo mais raro. A diferença entre a sinusite fúngica e a bacteriana é o cheiro ruim que fica no nariz, segundo Romano. “Existem medicamentos contra a doença, mas normalmente o tratamento nesses casos é cirúrgico”, pontua. Esse tipo pode ser agudo ou crônico.
 

Publicidade