Exaustão: o perigo de checar e-mails profissionais fora do expediente

Um estudo americano concluiu que ficar em estado de alerta fora do ambiente de trabalho está levando alguns profissionais ao esgotamento emocional

Você sai do trabalho, mas ele não sai de você. Se esse é o seu caso, é melhor respirar fundo e tentar delimitar melhor o expediente, pois, além de acumular horas extras, você está levando para casa uma carga emocional grande demais. Segundo o recente estudo americano “Exausto, mas incapaz de desconectar: o impacto das expectativas de e-mails corporativos no equilíbrio trabalho-família” (tradução livre), não só responder e-mails fora do ambiente de trabalho como estar em estado de alerta para possibilidade de recebê-los está levando profissionais ao esgotamento emocional e até interferindo em suas vidas familiares. “O acesso ao e-mail contribui para a experiência de sobrecarga de trabalho já que permite aos empregados interagir com o serviço como se eles nunca tivessem saído do trabalho, e ao mesmo tempo inibe a habilidade psicológica de desapegar das questões profissionais por conta da conectividade”, explicam os pesquisadores, que alertam para o fato de que se separar física e emocionalmente do trabalho é imprescindível para que possamos refazer nossas energias. 

A pesquisa foi feita por meio de um questionário destinado a 385 trabalhadores de diferentes áreas, principalmente finanças, tecnologia e saúde. Os participantes responderam a questões como o tempo que eles destinavam a e-mails fora do expediente, seus estados emocionais, como eles faziam para se separar do trabalho nas horas vagas e o balanço dado à a vida profissional e familiar. A expectativa dos autores é que as empresas possam introduzir “práticas que vão ajudar a diminuir esses efeitos negativos e proteger os empregados”.