Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Dicas para viajar de carro com seu pet com segurança

Tire suas dúvidas sobre segurança, alimentação ideal e conforto do seu cão ou gato durante uma viagem de carro

Por Marina Marques Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
11 jun 2024, 09h00

Viajar de carro com seu pet pode ser uma experiência divertida para toda a família. Mas, para garantir a segurança e o bem-estar do seu amigo durante o trajeto, é fundamental se preparar com antecedência e seguir algumas dicas importantes.

Primeiramente, é essencial lembrar que os animais têm necessidades diferentes das nossas, e podem ficam mais sensíveis quando saem da rotina. É preciso atentar-se a questões como alimentação, conforto, segurança e bem-estar do seu pet durante o trajeto de carro.

Dicas para viajar de carro com seu pet com segurança
Cadeirinha e cinto são itens que garantem a segurança do pet – e uma mantinha também é bem-vinda para o frio (Reprodução/Freepik)

Vai fazer uma viagem longa ou se aventurar no primeiro passeio de carro com seu cachorro ou gato? Então fique de olho nessas dicas:

Antes da viagem:

Continua após a publicidade
  • Visite o veterinário: Faça um check-up completo com o seu pet para garantir que ele esteja em boas condições de saúde para viajar. Verifique se as vacinas estão em dia e se ele precisa de algum medicamento durante a viagem.
  • Acostume seu pet com o carro: Faça alguns passeios curtos de carro com seu pet antes da viagem longa para que ele se acostume com o ambiente e se sinta mais confortável.
  • Escolha o transporte adequado: Utilize caixas de transporte adequadas ao tamanho do seu pet ou cintos de segurança específicos para animais. Certifique-se de que o transporte esteja bem preso no carro para evitar acidentes.
  • Prepare a documentação: Leve com você a carteira de vacinação do seu pet, atestado de saúde emitido por um veterinário (guia de trânsito) e microchip (se houver).
  • Itens essenciais: Prepare um kit com água, comida, comedouro, bebedouro, brinquedos favoritos do seu pet, saquinhos para recolher as necessidades e medicamentos prescritos pelo veterinário.

Durante a viagem:

  • Faça paradas frequentes: A cada duas ou três horas, pare o carro para que seu pet possa fazer suas necessidades, se hidratar, se alongar e gastar energia.
  • Mantenha o carro ventilado: Não deixe o carro fechado com o pet dentro em dias muito quentes ou frios. Abra as janelas ou ligue o ar-condicionado para garantir o conforto do seu amigo.
  • Evite alimentar o pet durante a viagem: Para evitar enjoos e vômitos, ofereça comida ao seu pet algumas horas antes da viagem e evite alimentá-lo durante o trajeto.
  • Tenha atenção com a temperatura: Monitore a temperatura dentro do carro e evite que seu pet fique exposto ao sol direto ou em locais muito frios.
  • Ofereça água fresca: Mantenha água fresca e disponível para seu pet durante toda a viagem.
  • Brinque e interaja com seu pet: Faça pausas para brincar com seu pet e interagir com ele para que ele se sinta entretido e relaxado durante a viagem.
  • Esteja atento ao comportamento do seu pet: Observe se seu pet está se comportando de forma normal durante a viagem. Se ele apresentar sinais de enjoo, estresse ou desconforto, procure um local para parar e ofereça água, conforto e, se necessário, leve-o ao veterinário.

Existe um tempo ideal para fazer pausas durante a viagem?

Conforme alerta Mayara Andrade, médica-veterinária nutróloga da BRF Pet, ninguém melhor do que o tutor para conhecer seu pet.

“Não existe um tempo padrão para pausas. Elas devem ocorrer quando houver necessidade de alimentação, hidratação e necessidades fisiológicas, tentando seguir a rotina do pet, mesmo que não tão à risca, principalmente em relação ao número de refeições que ele faz ao longo do dia”, explica a especialista. Dessa forma, nem em toda parada há necessidade dele se alimentar.

Qual a melhor forma de alimentá-lo?

A veterinária aponta também que, por ser uma situação diferente, muitos cães podem, por estresse, recusar até mesmo o alimento que eles mais gostam. “Nesses casos, é importante respeitar a vontade do pet e não forçar a alimentação.”

Já em relação a água, o conselho é oferecer em todas paradas e em dias mais quentes, ao longo do caminho também. Nessas ocasiões, ela indica água fresca e de preferência no bebedouro que já está acostumado. Se o pet tem o hábito e gosta, a especialista indica ainda a água de coco como opção.

“Alimentos úmidos, os chamados patês ou sachês, podem ser uma alternativa para essas situações pois aliam nutrição de qualidade e alta aceitação”, aconselha Mayara.

O que fazer caso o pet fique enjoado no carro?

Da mesma maneira que as pessoas podem se sentir enjoadas, os pets também podem se sentir assim em longos trajetos de carro.

Continua após a publicidade

Para a veterinária Mayara Andrade, o uso de antieméticos podem ser úteis e devem ser utilizados sempre que necessário. Para isso, é importante que, antes da viagem, o tutor consulte o médico-veterinário que acompanha o cão ou gato para entender quando usar, qual é o melhor medicamento, qual seria a dose e como utilizar.

A dica vale inclusive para aqueles pets que nunca viajaram ou para tutores que estão inseguros em relação a esse tema.

Existe uma quantidade exata de água para oferecer ao pet durante a viagem?

Dicas para viajar de carro com seu pet com segurança
O ideal é oferecer água fresca e de preferência no bebedouro que o pet já está acostumado (W O L F Λ R T/Pexels)

Independentemente da situação, rotina ou viagem, existe uma recomendação de quantidade mínima de água que deve ser seguida. “Essa quantidade é calculada de acordo com o peso e características do pet, podendo variar para mais ou menos de acordo com a situação e necessidade dele”, pontua.

Continua após a publicidade

Durante as viagens, podem ocorrer situações de estresse e, com isso, o pet pode recusar tanto o alimento quanto a água para beber. Segundo Mayara, nesses casos, “os alimentos úmidos completos ou snacks podem ser uma excelente ferramenta para contribuir tanto com o consumo de água quanto estimular o pet a se alimentar de forma voluntária”. Ela também destaca o fato de serem práticos e fáceis de carregar. 

É melhor dar menos alimento para o pet durante uma viagem para evitar enjoos? 

Nem sempre reduzir a quantidade de alimentos e água vai fazer com que o pet não enjoe. “Muitos pets podem até apresentar episódios de vômito mesmo sem se alimentar. Sempre, independentemente da situação, devemos oferecer um alimento completo, de qualidade e em quantidades adequadas para os pets”, reforça a veterinária.

A recomendação é evitar alimentação muito próxima do início da viagem para pets que enjoam no trajeto. “Nesses casos, alimentos mais leves, como frutas ou até mesmo o alimento úmido, podem ser oferecidos junto da administração do antiemético. O mesmo deve ser feito nas pausas durante a viagem.”

Viajar com gatos de carro é uma boa ideia?

Como levar seu pet no avião? Veja dicas e documentos necessários
O estresse está entre uma das causas de doença do trato urinário nos gatos (Getty Images/Reprodução)

Conforme explica Mayara, as viagens podem ser mais estressantes do que prazerosas para os gatos. “Por isso, caso seu gato não esteja acostumado a isso desde pequeno, talvez levá-lo em uma viagem pode não ser a melhor opção”, reitera e veterinária.

A especialista ainda ressalta que o estresse está entre uma das causas de doença do trato urinário, podendo variar de cistites até a formação de cálculo urinário. Ou seja, se não for essencial fazer o transporte do seu gato na ocasião, é melhor deixá-lo com algum cuidador ou alguém de confiança!

Dicas extras para garantir o conforto do seu pet:

  • Leve um cobertor ou cama portátil para que seu pet tenha um lugar confortável para descansar no carro.
  • Utilize tapetes protetores para o banco do carro para evitar que seu pet suje o estofamento.
  • Se você for viajar com mais de um pet, certifique-se de que eles se dão bem ou transporte-os em caixas separadas.
  • Pesquise sobre hotéis e restaurantes pet-friendly no seu destino para garantir que você e seu pet sejam bem recebidos.

Por fim, a especialista Mayara Andrade, médica-veterinária nutróloga, destaca que é importante respeitar os limites e vontades do seu pet: “Nem sempre o que é prazeroso para você, é para seu pet. Por isso, avalie bem se a proposta do passeio será uma experiência agradável para pet e tutor!”

Continua após a publicidade
Dicas para viajar de carro com seu pet com segurança
Avalie bem se a proposta do passeio será uma experiência agradável para pet e tutor (Reprodução/Freepik)

Além disso, ela reitera que existem normas e leis que devem ser seguidas que podem variar de local para local. “Certifique-se delas antes de viajar. Manter em dia a vacinação e a desvermifugação do seu pet também é uma forma de garantir uma viagem tranquila e agradável para todos!”

Lembre-se: viajar com seu pet exige planejamento, organização e cuidado. Com um pouco de atenção, você poderá transformar essa experiência em um momento inesquecível de aventura e cumplicidade com seu melhor amigo.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.