Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Ana Lúcia Martins, 1ª vereadora negra de Joinville sofre novas ameaças

As mensagens foram enviadas para o e-mail da parlamentar e do vereador Alisson Júlio, que é cadeirante. Polícia investiga o caso

Por Da Redação Atualizado em 25 nov 2020, 12h11 - Publicado em 25 nov 2020, 12h10

Depois de receber ameaças e insultos racistas nas redes sociais ao ser eleita no último domingo (15), a professora Ana Lúcia Martins voltou a receber novas ameaças de morte. Além dela, outro vereador, o cadeirante Alisson Júnior e candidato mais votado da cidade, também foi alvo de ataques.

As intimidações foram enviadas para o e-mail dos dois políticos, que são ativistas dos direitos humanos. “Eu avisei que se vocês fossem na polícia eu ia ficar sabendo. Pois agora você vai morrer também. Dei um crédito por você ser branco, mas você pisou na bola”, dizia a mensagem direcionada a Alisson.

As mensagens continham ainda ofensas racistas contra Ana Lúcia, e discriminatórias contra Alisson Júnior. “Precisamos saber quem está por trás desses ataques e que os envolvidos sejam responsabilizados criminalmente. São ameaças de morte diretas para duas pessoas eleitas democraticamente”, disse a vereadora.

Um inquérito foi aberto e o caso está sendo apurado, inicialmente, como injúria racial e ameaça. No domingo (22), a Polícia Civil de Santa Catarina cumpriu mandado de busca e apreensão na residência de um suspeito.

View this post on Instagram

A post shared by Ana Lucia Martins (@profanaluciamartins)

Continua após a publicidade

De acordo com a advogada Andreia Indalencio Rochi, no dia da eleição, Ana Lúcia teve suas redes sociais invadidas. “Quando começou a apuração, com os primeiros resultados, a Ana teve uma invasão no Instagram. Apagaram algumas fotos, mexeram no perfil”.

Veja também

Primeira vereadora negra eleita em Joinville sofre ameaças de neonazistas

Thiago Amparo: “Ser ativista é lutar por mudanças no bairro e no mundo”

Porta dos Fundos faz vídeo machista sobre vereadora curitibana

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade