Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Advogados pressionam Damares para explicar nomeação de Sara Winter

Em 2019, Sara teve um cargo no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

Por Da Redação - 25 set 2020, 10h58

O Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos – CADHu apresentou à Justiça Federal uma ação exigindo que Damares Alves explique a nomeação e as atividades da extremista Sara Winter no Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. As informações são da revista Veja.

Em 2019, ela ganhou o cargo de coordenadora-geral de Atenção Integral à Gestante e à Maternidade do Departamento de Promoção da Dignidade da Mulher da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres. Sara ficou no cargo por menos de um ano.

Ainda de acordo com a Veja, a ação dos advogados também pede provas sobre os critérios técnicos utilizados para a nomeação. De acordo com o UOL, Sara apresentou um currículo falso na época, dizendo que era graduada em relações internacionais pelo Centro Universitário Internacional (Uninter) – o que foi desmentido pela instituição de ensino. 

O CADHu aponta que Sara se ausentou do país sem autorização, deixando a função no Ministério abandonada, para fazer campanhas pessoais na Argentina e no Uruguai. Os advogados alegam indícios de malversação de recursos públicos e também cobram explicações de Sergio Luiz Carazza, Secretário Executivo do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Continua após a publicidade
Publicidade