Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Youtuber surdo recria clipes em Libras e ganha like de Anitta

Gabriel Isaac reproduz os vídeos em seu Instagram e tem feito muito sucesso nas redes

Por Pamela Malva Atualizado em 18 fev 2020, 11h00 - Publicado em 1 mar 2019, 14h02

O goiano Gabriel Isaac está fazendo sucesso nas redes por deixar o Carnaval ainda mais democrático. Em seu Instagram, o jovem recria clipes de músicas conhecidas em Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Youtuber e animador de computação gráfica, Gabriel já fez versões de hits das cantoras Anitta, Lexa e Pabllo Vittar. O vídeo que publicou da música Terremoto, inclusive, foi republicado pela própria Anitta (dona da faixa, junto com o cantor Kevinho).

Ainda ao site, ele revelou que contou com a ajuda de um amigo para produzir o vídeo e sincronizar as imagens dele fazendo os sinais com as músicas escolhidas. Além disso, ele usa um aparelho auditivo retroauricular com o qual consegue ouvir a batida enquanto sente o ritmo e a vibração da música com o próprio corpo.

“Tivemos que estudar a letra e a mensagem que as músicas passavam para poder adaptar e traduzir para a Língua Brasileira de Sinais”, contou Gabriel. “Isso porque as estruturas semânticas e gramaticais da Libras são bem diferentes da estrutura da língua portuguesa. Depois foi só filmar e editar”.

Leia mais: As tendências de Carnaval na 25 de Março

Continua após a publicidade

O canal de Gabriel começou quando ele ainda tinha 12 anos, mas acabou parando por um tempo. Voltou em 2016 e seu conteúdo era bastante variado, mas nada parecido com os clipes. No geral, ele produz vídeos sobre seu dia a dia, viagens e temas relacionados à comunidade surda e à surdez.

“Eu gosto de falar sobre esses assuntos para poder mostrar às pessoas que elas são capazes de fazer o que quiserem, independente de qualquer coisa”, disse. “Sempre tive vontade de gravar um vídeo em Libras na forma de um clipe ou algo parecido. Assim as pessoas poderiam aprender um pouco da nossa língua de um jeito divertido e entender que as pessoas surdas também podem consumir esse tipo de mídia.”

Veja mais: Faça você mesma: máscaras para imprimir e curtir o Carnaval

Siga CLAUDIA no Youtube

Continua após a publicidade
Publicidade