CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

CoronaVac oferece proteção às três variantes do coronavírus

O estudo foi desenvolvido pelo Instituto Butantan com a Universidade de São Paulo (USP) e contou com voluntários vacinados na fase 3

Por Da Redação 10 mar 2021, 16h10

Proteção garantida! Nesta quarta-feira (10), foi confirmado pelo governador de São Paulo João Doria (PSDB) que a vacina CoronaVac é eficaz contra as três variantes do coronavírus: a do Brasil, do Reino Unido e da África do Sul, que circulam no Brasil.

A informação foi obtida por um estudo desenvolvido pelo Instituto Butantan com o laboratório chinês Sinovac em parceria com a Universidade de São Paulo (USP).

“Uma nova pesquisa comprova que a vacina do Butantan é eficaz contra as novas cepas do coronavírus. Essa é uma excepcional notícia. Essa pesquisa do Butantan feita em parceria com a USP comprovou que essa vacina é eficaz contra as três variantes do coronavírus em circulação no Brasil”, afirmou o governadora durante a coletiva de imprensa.

Dimas Covas, diretor do instituto, alertou que a variante mais perigosa é a P.1, que surgiu em Manaus e é derivada da B.1.1.28, cuja a vacina oferece proteção. Covas ainda apontou que a variante já pode ser a a principal cepa em cidades brasileiras.

“Em Serrana, desde junho de 2020 nós fizemos um acompanhamento até hoje, e aí vimos que já em dezembro de 2020 apareceu já alguma coisa diferente em termos de mudança do vírus. Em dezembro apareceu a P.2 [derivada da cepa brasileira B.1.1.28], a primeira variante de importância. Em janeiro, essa variante P.2 já era a predominante. Agora, em janeiro e fevereiro, já passou a ser predominante a P.1, a mais agressiva. E isso pode estar acontecendo em outros municípios”, disse.

Os resultados completos da pesquisa, que contou com 35 voluntários vacinados na fase 3, serão divulgados posteriormente. O Instituto Butantan usou o soro dessas pessoas já imunizadas para checar o combate à nova cepa.

Continua após a publicidade

Publicidade