Professor é condenado a 90 anos de prisão por estuprar alunos

Preso por cometer ao menos 87 estupros, o pedófilo postava os abusos na internet

Um professor foi condenado a 90 anos, seis meses e 20 dias de prisão por estuprar seus alunos e gravar e postar os abusos na internet. Com identidade não divulgada, o homem de 32 anos foi preso em sua casa no Alto de Pinheiros, Zona Oeste de São Paulo.

Realizada em outubro passado, a prisão fez parte da Operação Mestre Impuro, deflagrada pela Polícia Federal para combater o abuso sexual infantil e sua divulgação na internet.

Conforme aponta investigação realizada pela PF e Ministério Público Federal, o professor cometeu ao menos 87 estupros. Ele dava aulas particulares de capoeira em uma escola e de violão e guitarra para crianças na casa delas.

A decisão da 8ª Vara Criminal emitida no dia 2 de julho indica que a Justiça Federal identificou 53 episódios de estupro contra um único aluno nas imagens produzidas pelo professor. O garoto, de 11 anos, é autista e tinha aulas de música com o pedófilo.

A sentença também diz que, quando foi preso, o homem publicou um vasto material com cenas sexuais em fóruns dedicados à pornografia infantil na Deep Web.

Condenado por estupro de vulnerável e produção e compartilhamento de pornografia infantil, ele, inicialmente, cumprirá pena em regime fechado. O MPF afirmou que recorrerá da decisão judicial que o absolveu do crime de posse do material pornográfico.

Leia também: Polícia invade karaokê e liberta chinesas mantidas como escravas sexuais

+ Jovem acusa PMs de estupro dentro da viatura, em Praia Grande

Siga o podcast de CLAUDIA no Spotify, “Senta Lá, CLAUDIA”