Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Princesa Tiana substituirá filme com temática racista em parques da Disney

Até então, a ambientação do brinquedo Splash era inspirada no filme "A Canção do Sul", em que o roteiro reverencia o período da escravidão

Por Da Redação - Atualizado em 25 jun 2020, 17h29 - Publicado em 25 jun 2020, 17h08

A Disney notou que mudanças eram necessárias para tornar o clima de seus parques realmente agradável e respeitoso para todos. Nesta quinta-feira (25), a companhia anunciou uma decisão planejada, segundo eles, desde o ano passado. Em breve, o trajeto do brinquedo Splash Mountain nos parques temáticos da Califórnia e Flórida será substituído e inspirado na história da primeira princesa negra da Disney, Tiana, do filme A Princesa e o Sapo, já que o antigo tinha um conteúdo racista, ofendendo à história da comunidade negra.

Até então, o passeio, em que o público sentia aquele frio na barriga na queda equivalente a cinco andares, era ambientado por sequências animadas do filme A Canção do Sul, de 1946. Coincidência ou não, os questionamentos pertinentes à obra começaram em sua estreia na cidade de Atlanta, uma das regiões em que o apartheid foi duramente seguido. Inclusive, o próprio protagonista, o ator James Baskett, que era negro, foi impedido de entrar na sessão de estreia. No filme, Baskett interpreta o contador de história Tio Remus, um ex-escravizado que faz referência ao passado, especialmente o período da escravidão, com saudosismo e reverencia, além de ser representado de forma estereotipada.

Disney/Reprodução

Na época, o filme já não foi visto com bons olhos, fazendo com que a Disney nem lançasse fitas VHS da obra. E na plataforma de streaming da empresa, Disney +, ele também não foi inserido no catálogo. Porém, como inspiração para o brinquedo dos parques, ele é reproduzido até hoje, século 21, sendo substituído pela tardia valorização de Tiana, mas que pelo menos vai acontecer.

“Vamos contar essa história após o beijo final e nos juntamos à princesa Tiana e Louis em uma aventura musical – com algumas das músicas poderosas do filme – enquanto se preparam para sua primeira apresentação de Mardi Gras (…) O novo conceito é inclusivo, no qual todos os nossos clientes podem se conectar e se inspirar, e fala da diversidade de milhões de pessoas que visitam nossos parques a cada ano”, explicou Michael Ramirez, diretor de relações públicas, sobre a nova ambientação.

Continua após a publicidade

Para a atriz Anika Noni Rose, que deu voz à princesa Tiana, a novidade é empolgante: “É realmente emocionante saber que a presença da princesa Tiana na Disneylândia e no Magic Kingdom finalmente será totalmente realizada! Tão apaixonada quanto eu pelo que criamos, eu sei que os fãs ficarão loucos”, celebrou no comunicado oficial.

Líder do time responsável pela mudança do splash e de outros brinquedos, conhecidos como os Imagineers, Charita Carter, produtora criativa sênior, também compartilhou o que a mudança representa: “Como a princesa Tiana, acredito que coragem e amor são os principais ingredientes para aventuras maravilhosas. Estou muito satisfeita por fazer parte dessa experiência divertida aos nossos hóspedes”.

Com a gravação do assassinato trágico de George Floyd, homem negro sufocado até a morte por um policial branco em Minneapolis, e a morte Breonna Taylor, também vítima de violência policial sofrida principalmente por afrodescendentes, as denúncias e demandas feitas há anos pelo movimento negro começaram finalmente a ser mais levados em consideração. Que a convocação para indivíduos brancos e instituições refletirem mais sobre suas posturas racistas e, principalmente, desenvolverem atitudes antirracismo, tenham cada vez mais adeptos e que seja o quanto antes.

Todas as mulheres podem (e devem) assumir uma postura antirracista

Publicidade