Polícia já procurou por João de Deus em mais de 30 endereços

Médium é procurado desde sexta-feira (16)

A Polícia Civil já realizou buscas por João de Deus em mais de 30 endereços, segundo fontes da Polícia Civil de Goiás. O médium está sendo procurado desde sexta-feira (16), quando foi expedido um mandado de prisão após mais de 300 mulheres relatarem terem sido abusadas sexualmente por ele, que nega as acusações.

Segundo o portal G1, fontes com acesso à investigação dizem que ele pode ter saído do país. Mas a promotora responsável pelo caso, Gabriella de Queiroz Clementino, afirma que não há “nada concreto” sobre a afirmação.

Assim que surgiram as primeiras denúncias, foram retirados cerca de R$ 35 milhões de contas bancárias em nome de João de Deus. Ainda sem conseguir localizar o paradeiro do médium, investigadores identificaram movimentações recentes nas contas bancárias em nome dele.

Procurado pela Interpol

A Força-Tarefa que atua no caso de Abadiânia informou em nota oficial que João Teixeira de Faria, o João de Deus, passou a ser considerado foragido a partir das 14h deste sábado (15).

O mandado de prisão em desfavor do médium está disponível para consulta na internet. O documento, que estava sob sigilo, foi expedido pela Vara Judicial de Abadiânia e tem validade até 12/12/2038.

“As diligências de localização em todos os seus endereços resultaram negativas e o comparecimento espontâneo não ocorreu nas 24 horas seguintes à ordem de prisão, a despeito das tentativas de negociação com a defesa. Assim, poderá ser preso por qualquer autoridade policial brasileira ou estrangeira, com auxílio da Interpol, caso saia do país. O mandado de prisão está inserido no BNMP”, diz a nota.

Denúncias

Desde o dia 10, quando foi criado o e-mail para recebimento de denúncias de vítimas, um total de 335 mensagens e contatos por telefone foram atendidos. O e-mail específico para essa finalidade é o denuncias@mpgo.mp.br. Os atendimentos são de denunciantes de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pará, Santa Catarina, Piauí e Maranhão.

Leia também: Ministérios Públicos criam canais exclusivos para denúncias contra João de Deus

+ Filha de João de Deus diz a VEJA que foi abusada desde os 10 anos