CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 12,90/MÊS

Papa critica casais que optam por ter pets em vez de filhos

"Desistir de ser mãe ou pai pode tirar um pouco de nossa humanidade", disse o pontífice sobre casais que escolhem animais de estimação

Por Sarah Catherine Seles 6 jan 2022, 13h28

Na quarta-feira (5), o Papa Francisco fez um apelo durante a Audiência Geral, no Vaticano. Após elogiar a paternidade, ele pediu para que pais e mães adotem crianças, já que “vivemos uma época de orfandade notória”.

Para o pontífice, esse é um ato de humanidade e acredita que a escolha dos animais de estimação no lugar de filhos resulta em uma perda de “humanidade”.

Leia também: Mãe de pet existe? O termo invisibiliza a sobrecarga das mulheres com filhos

“Desistir de ser mãe ou pai pode tirar um pouco de nossa humanidade. A sociedade se torna mais velha e sem humanidade porque perdemos a riqueza da maternidade e da paternidade. As nações sofrem com isso”, afirmou.

O Papa acredita que esse é um traço do nosso tempo: “Hoje vemos uma forma de egoísmo. Vemos que alguns não querem ter filhos. Às vezes têm um, mas têm cães e gatos que ocupam esse lugar”, disse na primeira audiência geral do ano.

papa
Vatican Pool/Getty Images

No discurso, ele pediu ainda que os processos de adoção sejam facilitados pelas instituições, para que os sonhos das crianças que precisam ser adotadas e dos casais que desejam uma família sejam realizados.

O Papa argentino criticou ainda a “dramática queda na taxa de natalidade” que é registrada em muitos países do ocidente e convidou as pessoas a terem filhos ou adotá-los.

Continua após a publicidade

“Não é suficiente pôr um filho no mundo para dizer que também somos pais ou mães. Não se nasce pai, se torna. E não se torna pai apenas porque se colocou no mundo um filho, mas porque se cuida responsavelmente dele”, afirmou na ocasião.

E finalizou: “Ter um filho é sempre um risco, seja natural, ou adotado. Mas mais arriscado é não ter. Mais arriscado é negar a paternidade, negar a maternidade, seja ela real, ou espiritual”.

As falas do pontífice repercutiram nas redes sociais, uma parte discorda e a outra concorda com as afirmações. Outros tópicos que cercam o debate foram levantados, como o feminismo, desigualdade social e até mesmo a economia.

Veja alguns comentários:

Continua após a publicidade

Publicidade