Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Papa Francisco diz que a Igreja ‘nunca mais’ vai ignorar abusos sexuais

Ele pediu para que padres que cometeram abusos sexuais se entreguem

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2020, 12h09 - Publicado em 21 dez 2018, 11h36

Em seu tradicional discurso de Natal divulgado nesta sexta-feira (21), o Papa Francisco pediu para que padres que cometeram abusos sexuais se entreguem à justiça. Segundo o pontífice, a Igreja Católica não vai ignorar as “abominações” dos membros do clero que cometeram esse tipo de crime.

“Para aqueles que abusam de menores eu diria: converta-se e entregue-se à justiça humana, e prepare-se para a justiça divina”, afirmou em sua mensagem anual destinada à Cúria Romana. “Diante dessas abominações, a Igreja não poupará esforços para fazer tudo o que for necessário para levar à justiça quem cometeu tais crimes”, completou.

Na mensagem, Francisco não detalhou se fazia referência ao sistema judicial interno da Igreja Católica ou à Justiça civil de cada país. Segundo a Reuters, fontes do Vaticano acreditam que essa foi a primeira vez que Francisco fez esse apelo diretamente.

“A Igreja nunca tentará acobertar ou subestimar nenhum caso. É inegável que alguns responsáveis, no passado, por falta de cuidado, por incredulidade, por falta de preparo, por inexperiência ou por superficialidade espiritual e humana trataram muitos casos sem a devida seriedade e rapidez. Isto nunca deve voltar a acontecer. Esta é a escolha e a decisão de toda a Igreja” , disse ele, diante dos principais líderes do governo do Vaticano.

No início do ano, o próprio Francisco foi criticado por defender com veemência um bispo chileno acusado de encobrir abusos. Mais tarde foi aberta uma investigação e o pontífice pediu desculpas. Ele acabou por aceitar a renúncia de Barros e de outros bispos chilenos.

Leia maisPapa Francisco comemora 82 anos com bolo temático

Continua após a publicidade
Publicidade