Motivado pelo filho, americano cria curativo para pele negra

As versões consideradas "cor de pele" apenas se aproximam dos tons mais claros. Inspirado pelo pequeno, este pai desenvolveu outras nuances para abraçar a diversidade

Quando o pequeno Kai se machucou, o pai Toby Meisenheimer saiu para comprar um curativo colante e se deparou com uma situação incômoda – que até então passara despercebida. Nas prateleiras, não havia uma opção sequer próxima à cor da pele de seu garoto.

O pequeno é negro e um dos três filhos adotivos de Toby, que é branco e tem ainda dois outros filhos biológicos. “Não acredito que vivi 38 anos sem perceber que os curativos vinham em um formato que só combina com um tom de pele. Isso não está certo”, pensou.

Provocado por essa falta de diversidade, o professor de matemática e consultor financeiro resolveu criar um produto que suprisse essa ausência. Lançou, então, no ano passado, a marca Tru-Colour Bandages, com band-aids em três tons de pele – todos mais escuros do que o tradicional bege.

“Durante anos fui de uma família só de brancos. Depois que adotamos crianças com cor de pele que não eram como as nossas, começamos a ver as coisas de forma diferente”, disse ao portal brasileiro G1. E completou: “Quis ser parte da solução. Não podemos consertar de uma vez tudo o que está errado nas questões raciais, mas podemos dar um passo nessa direção, mesmo que seja com um curativo que combina melhor com a individualidade de alguém”.

A marca é vendida pelo site oficial na internet e distribuída nos Estados Unidos, no Canadá e no Reino Unido, mas a intenção é que o negócio se expanda e chegue, inclusive, por aqui. 

Divulgação/Facebook Divulgação/Facebook

Divulgação/Facebook (/)

Divulgação/Facebook Divulgação/Facebook

Divulgação/Facebook (/)

Divulgação/Facebook Divulgação/Facebook

Divulgação/Facebook (/)