Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Maria Clara de Sena recebe voto de aplauso por Prêmio CLAUDIA

"Encontramos em Maria Clara e em sua militância um símbolo da resistência da mulher trans e do povo negro" afirma Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Por Clara Novais - Atualizado em 22 nov 2016, 15h35 - Publicado em 10 nov 2016, 15h50

A Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco concedeu à Maria Clara de Sena o voto de aplauso por ter vencido o Prêmio CLAUDIA 2016, na categoria Políticas Públicas.

Maria Clara é militante na luta pelos direitos humanos e da população LGBT. Ela se destaca por seu trabalho e por ser a primeira transexual com cargo no Mecanismo de Prevenção e Combate à Tortura, órgão do Estado implementado pela própria Assembleia por recomendação da ONU.

“Encontramos em Maria Clara e em sua militância um símbolo da resistência da mulher trans e do povo negro”, declara o documento assinado pelo Deputado Edilson Silva.

A vencedora do Prêmio CLAUDIA já foi ameaçada de morte por um agente penitenciário enquanto fiscalizava – a serviço do Mecanismo – uma unidade prisional no interior de Pernambuco.

Leia também: Essas mulheres provam que não precisa ser político para resolver problemas sociais

Continua após a publicidade

Desde então, ela foi inserida no Programa Estadual de Proteção a Defensores dos Direitos Humanos, mas a Assembleia reconhece que ela não recebe o apoio adequado para garantir-lhe proteção – o que não a impediu de continuar o seu trabalho nas unidades prisionais do Estado.

A partir desse voto de aplauso, a Assembleia promete corrigir isso. “Reconhecemos como importante a Premiação Nacional que ela recebeu pela Revista CLAUDIA e, através deste voto de aplauso, objetivamos também que no Estado de Pernambuco ela seja reconhecida, respeitada, e tenha garantido o seu direito a vida e sua integridade para que continue desenvolvendo sua contribuição inestimável para a construção de uma sociedade que promove os direitos humanos e combate a tortura, tratamentos desumanos e degradantes, e a discrição contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.”

A CLAUDIA fica feliz pelo reconhecimento ao Prêmio CLAUDIA e por ter contribuído para que Maria Clara consiga ter mais segurança para realizar o seu trabalho. Nós sabemos a importância de suas ações no Mecanismo e valorizamos a sua garra e coragem para realizar suas atividades, mesmo ciente dos riscos que corre por isso. Mais uma vitória dessa guerreira!

Conheça sua história:

Continua após a publicidade
Publicidade