Mãe de trigêmeas tem R$ 2 bilhões depositados na conta e devolve dinheiro

Ela tinha o saldo bancário negativo quando foi surpreendida

Leizimar Silva Triers, de 35 anos, é mãe de trigêmeas de 1 ano de idade, estava desempregada e com o saldo negativo na sua conta no banco quando foi surpreendida por um depósito de mais de R$ 2 bilhões. Apesar da situação financeira complicada, a mãe não hesitou em procurar a Caixa Econômica Federal para devolver o dinheiro.

No dia 11 de abril, Leizimar consultou seu extrato bancário no aplicativo do celular quando percebeu que o seu saldo, antes de 470 reais negativos, saltou para R$ 2,28 bilhões.

“Eu fiquei surpresa demais. O lançamento foi feito no dia 11, mas eu notei no dia 13, era um sábado, e então esperei chegar segunda-feira para procurar a gerente do meu banco para entender o que tinha acontecido”, contou a mulher ao G1.

O depósito bilionário tratava-se de um erro no sistema, de acordo com o que a gerente informou a Leizimar. Se usasse esse dinheiro para realizar alguma compra, ela teria que responder. Mas isso não foi um problema para a mulher.

 (G1/Reprodução)

“Não precisava nem do alerta dela. Eu jamais usaria um dinheiro que não era meu, tanto que tive três dias e não mexi”, revelou. “A gente não perde nunca quando é honesto. Vou poder contar para as minhas filhas que a mãe delas recebeu um dinheirão e devolveu. A mudança começa dentro de casa.”

Além das trigêmeas Kaylane, Yasmin e Maria Alice, Leizimar tem mais uma filha de 14 anos, Rayssa, e mora com o marido Mailton. Todos vivem com uma renda mensal de R$ 1.500, proveniente do emprego do cônjuge. Mesmo com a dificuldade financeira, a família preferiu viver com a consciência tranquila. A conta de Leizimar voltou a ficar negativa.

Atualmente, os quatro moram em uma casa na Vila Formosa e se esforçam para tentar alguns bicos e realizar o sonho de construir um quarto para as meninas, que, hoje, dormem com os pais. “Eu digo que o maior prêmio que tenho são as minhas filhas. Elas são os meus verdadeiros tesouros e não tem dificuldade que vá mudar isso”, finalizou Leizimar.

O que a Caixa diz

A Caixa Econômica Federal divulgou uma nota sobre o caso afirmando que se tratou de uma inconsistência no sistema que impactou o demonstrativo de saldo de alguns clientes na data em questão.

O banco ressalta que o saldo bilionário de Leizimar só podia ser visto e a realização de saques não era possível. Além disso, se caso houvesse “eventual prejuízo de algum cliente por conta do ocorrido, o devido ressarcimento será realizado”, disse a agência.

Leia também: Marido de Caroline Bittencourt vai ser indiciado por homicídio culposo

+ Internet pode sofrer falha mundial em maio; entenda

Siga CLAUDIA no Youtube

%d blogueiros gostam disto: