Clique e assine com até 75% de desconto

Homem negro é espancado até a morte por seguranças brancos no Carrefour

Crime ocorreu na noite desta quinta-feira, 19, e os dois seguranças também trabalham como policiais, um é PM e o outro é policial civil

Por Da Redação Atualizado em 20 nov 2020, 10h28 - Publicado em 20 nov 2020, 10h23

Um homem negro foi espancado até a morte por dois seguranças brancos no estacionamento do Carrefour, em Porto Alegre (RS), na noite de quinta-feira, 19.  O assassinato foi filmado e as imagens circulam nas redes sociais. João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, morreu no local.

Os dois seguranças, um de 24 e outro de 30 anos, foram presos em flagrante e vão responder por pelo crime de homicídio qualificado. Um é policial militar e foi levado a um presídio militar e outro é policial civil e está em um presídio da polícia civil. A Brigada Militar informou que o PM é temporário e estava fora do horário de serviço.

Segundo informou uma delegada, houve um desentendimento entre a vítima e uma fiscal do supermercado. A funcionária teria então chamado os seguranças, segundo reportagem do G1.

O Carrefour, em nota, lamentou profundamente e informou que vai adotar as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos no ato criminoso. A rede  varejista também informa que vai demitir o responsável pelo comando da loja no momento do crime e que romperá o contrato com a empresa de segurança responsável pelos seguranças que cometeram a agressão. O Carrefour também informou que vai dar o suporte necessário à família da vítima.

Um dia após o crime em uma de suas lojas, hoje, Dia da Consciência Negra, o Grupo Carrefour Brasil lança um manifesto pela diversidade, com material sobre inclusão racial, de gênero e também de pessoas de orientações sexuais e crenças diferentes. Segundo, reportagem no jornal Folha de São Paulo, o material será afixado em todas as lojas da rede no Brasil.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade