Crianças atraídas por comida morrem em explosão na Síria

Explosão de veículo bomba vitimou 68 crianças em território rebelde próximo a Aleppo; ao todo 126 pessoas morreram no atentado

Uma explosão de veículo bomba, na Síria, vitimou 68 crianças, que foram atraídas com comida para o local onde aconteceu o atentado.

Ao todo, 126 pessoas morreram no atentado que aconteceu no último sábado (15), em território rebelde próximo a Aleppo, a maior cidade do país, localizada ao norte da Síria.

A explosão aconteceu quando um comboio com sírios que esperavam ser elevados para regiões mais seguras do país – depois de um acordo entre os governo e rebeldes, que prometeu evacuar os povos em perigo e levá-los para áreas mais distantes das zonas de conflito – fez uma parada no local.

Um ônibus ficou destruído, carros próximos foram incendiados e rastros dos corpos das vítimas ficaram espalhados no local, após a detonação da bomba.

Leia mais: Guerra na Síria: 6 maneiras de ajudar efetivamente as vítimas

Segundo informações divulgadas pela BBC no Oriente Médio, o explosivo veio bem no momento em que um veículo carregado com comidas chegou ao local e começou a distribuir mantimentos, como batata fritas – o que atraiu as crianças.

Ainda não se sabe se a distribuição dos alimentos foi uma estratégia dos autores dos ataques – que não foi assumido por nenhum grupo, por enquanto. A TV estatal da Síria culpou “terroristas” atentado e afirmou que um suicida teria usado uma van que levava suprimentos para entrar na área.

Guerra na Síria

Desde 2011 a Síria convive com o estado de guerra. No começo, as disputas internas no país eram motivadas pelas desavenças entre grupos pró governo e anti Assad. Posteriormente, passaram a ser batalhas entre a maioria de muçulmanos sunita contra o ramo xiita alauita de Assad. Atualmente, com o avanço da presença do Estado Islâmico, o conflito ganhou outras dimensões.

Leia mais: A dura situação das crianças na guerra da Síria

O EI aproveitou o caos da região e proclamou um califado no país em 2014. Em setembro do mesmo ano, uma coalizão liderada pelos Estados Unidos lançou ataques aéreos para tentar enfraquecer o grupo. Neste ano, o governo de Donald Trump lançou um ataque-surpresa contra o regime sírio em represália pelo bombardeio com armas químicas que matou 86 pessoas incluindo 30 crianças.

A Rússia, que apoia o governo de Bashar al-Assad, também interveio na região e em 2015 lançou campanhas aéreas na Síria. Ativistas da oposição dizem que os ataques mataram civis e rebeldes apoiados pelo Ocidente.

Leia mais: Entenda o caso dos refugiados: Por que eles deixam seus países e o que você tem a ver com isso

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), desde o início do conflito na Síria, mais de 400 mil pessoas morreram. A guerra também provocou o êxodo de mais de 4,5 milhões de pessoas do país – o maior da história recente.