Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Conheça a campanha que promove a diversificação dos padrões de beleza

Para a designer baiana Diane Lima, a democratização da beleza é um ponto de partida para discutir o racismo na web e fora dela

Por Redação CLAUDIA - Atualizado em 27 out 2016, 23h22 - Publicado em 18 jan 2016, 08h30

Dona de um cabelão volumoso e enrolado desde a infância, a designer Diane Lima, da pequena Novo Mundo, na Bahia, cansou de ouvir conselhos para que domasse suas mechas. “As pessoas queriam fazer chuquinha, trancinha, e minha mãe dizia: ‘Se a menina quer o cabelo solto, deixa o cabelo da menina no mundo’.” Essa história ela contou em uma conferência em vídeo do TEDx (organização que promove ideias inovadoras), que alcançou e inspirou mais de 3 mil pessoas no ano passado. No fim da apresentação, a frase “Deixa o cabelo da menina no mundo” havia virado hashtag e estava entre os tópicos mais comentados no Twitter.

Divulgação
Divulgação

Para aproveitar o sucesso da fala, a designer, então, decidiu convidar 15 artistas – entre eles Tamires Lima, Lucas Sanper e Sista Kátia – para criar ilustrações de meninas com seus cabelos livres. O mote: “Crie, compartilhe e inspire uma mãe e uma criança”. Mais de mil imagens foram concebidas. O trabalho depois se desdobrou em oficinas e palestras em escolas públicas. “A campanha vai muito além da estética. A aparência é um ponto de partida para discutir questões como preconceito, protagonismo e bullying”, explica Diane, hoje com 25 anos. “Mas claro que o nível mais superficial, a beleza, também é fundamental para o empoderamento.”

Diane decidiu soltar não só seu cabelo mas suas belas ideias pelo mundo. Seu movimento teve início há quatro anos, quando desistiu de atuar na área de produção de moda, decidida a não compactuar com um estereótipo que apresentava um único tipo de cabelo (liso) e pele (branca). Empenhou-se em pesquisar a cultura afro-brasileira e como esse olhar diverso sobre as representações consegue impactar e transformar as pessoas. Em 2014, criou o portal NoBrasil, plataforma direcionada à indústria criativa, dedicada ao conteúdo e a referências sobre o tema. Neste ano, a designer pretende lançar uma websérie e seu primeiro livro.

Publicidade