Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Carro de candidata à Prefeitura de São Vicente, em SP, é alvo de tiros

Solange Freitas estava no carro ao lado de quatro membros de sua equipe. Nenhum deles foi atingido, graças ao carro blindado

Por Da Redação Atualizado em 11 nov 2020, 15h12 - Publicado em 11 nov 2020, 15h30

Solange Freitas, candidata à Prefeitura de São Vicente, em São Paulo, pelo PSDB, foi alvo de pelo menos cinco tiros na manhã desta quarta-feira (11). Ela estava acompanhada por outras quatro pessoas que fazem parte de sua equipe de campanha em um carro blindado, quando uma moto se aproximou e um homem atirou diversas vezes.

O atentado aconteceu por volta das 10h30 na avenida Prefeito José Monteiro, em São Vicente, na Baixada Santista. A moto se aproximou da janela do banco do passageiro, onde Solange Freitas estava sentada. Nenhum membro da equipe foi atingido e todos passam bem.

O carro da candidata foi atingido por pelo menos 4 tiros. Foto: TV Tribuna/Reprodução

Segundo informações da polícia, a candidata estava acompanhada do motorista, um produtor, uma assessora e o candidato a vice-prefeito, Gil do Conselho. A PM faz buscas para tentar prender o autor dos disparos. Imagens de câmeras de monitoramento devem ajudar a identificá-lo.

Essa não é a primeira vez que Solande Freitas é alvo de atentados em meio à campanha. No dia 14 de outubro, seu comitê eleitoral foi invadido durante a madrugada. A porta do local e uma placa na qual estava escrito o nome de Solange foram destruídas, além de a fiação elétrica ter sido roubada.

Pouco mais de uma hora depois do atentado, o PSDB emitiu a seguinte nota:

“O PSDB de São Paulo se solidariza com a candidata a prefeita de São Vicente Solange Freitas e sua equipe, vítimas de um atentado a tiros na manhã desta quarta-feira. Solange é a esperança de dias melhores na cidade e sem dúvida vai seguir firme com esse propósito. O PSDB espera a rápida elucidação do caso pelas autoridades policiais e a exemplar punição de seus autores”.

Continua após a publicidade

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), também falou sobre o ocorrido em suas redes sociais.

“O atentado contra a jornalista Solange Freitas, que concorre à Prefeitura de São Vicente, no litoral de SP, é uma violência condenável e um ataque à democracia”, escreveu.

Mais violência contra mulher em campanha política

Um outro caso de violência ocorreu na terça-feira (10), desta vez na Avenida Paulista, em São Paulo. Patricia Borges, uma mulher transexual, estava distribuindo panfletos da candidata a vereadora Erika Hilton (PSOL), que também é uma mulher trans, quando uma mulher reagiu agressivamente à sua abordagem.

Erika Hilton é candidata a vereadora em São Paulo Instagram/Reprodução

“A moça não quis pegar o panfleto e então eu reforcei: ‘Olha, tem importância, é uma mulher trans, preta, travesti, vamos mudar a estrutura de poder’. Ela respondeu: ‘Eu não, cambada de viado, tem tudo que morrer’. Ela se dirigiu dessa forma a mim e à Erika”, contou Patricia à Folha de São Paulo.

Logo em seguida, a mulher voltou acompanhada de dois homens e uma outra mulher, carregando um bastão de ferro. Os quatro começaram a agredir fisicamente Patrícia com socos e mordidas.

Uma viatura da Polícia Militar que passava pelo local interveio, mas não prendeu os agressores em flagrante. Segundo o advogado de Patricia, Pedro Martinez, o Boletim de Ocorrência foi prestado como transfobia e agressão corporal. Eles ainda solicitarão o acesso a imagens das câmeras de segurança da entrada do shopping Center 3, onde a vítima estava panfletando.

  • Estou com câncer de mama. E agora?

    Continua após a publicidade
    Publicidade