Brasileiro é condenado a prisão por agredir mulher na Austrália

Ele empurrou a cabeça da estudante contra o chão e ela rolou dois lances de escada abaixo; hoje, necessita de cadeira de rodas

O brasileiro Eduardo Santos Abrahão Filho, 28 anos, foi condenado há 9 anos de prisão pela justiça australiana, nesta quinta-feira (2), por agredir a paquistanesa Mehreen Ahmed, 32 anos. A agressão ocorreu na Austrália há um ano, quando a mulher estava comemorando o fim das provas na faculdade.

Mehreen sofreu danos cerebrais e hoje precisa de uma cadeira de rodas para se locomover e recebe cuidados 24 horas por dia. De acordo com os médicos, o quadro é irreversível.

Os pais da estudante acompanharam o julgamento do Paquistão e a mãe dela declarou à imprensa australiana que o ataque teve grande impacto na vida da família. “Se ela tivesse morrido naquele dia, nós teríamos, eu acho, aceitado a sua perda. Em vez disso, estamos presos no que parece ser uma escuridão sem fim”, afirmou.

Leia mais: Descubra por que os membros da Família Real não usam sobrenome

Segundo a imprensa local, o brasileiro admitiu a agressão, mas disse que foi acidental. No entanto, para o juiz, o ataque foi brutal e não acidental.

De acordo com o magistrado, não se sabe o que levou Eduardo a cometer a agressão. Segundo informações publicadas no ‘Uol’, o brasileiro e a paquistanesa se conheceram semanas antes da festa e durante a comemoração, eles deixaram o apartamento para comprar cigarros, mas, na volta, não entraram no local e foram para as escadas. Eles brigaram e o brasileiro empurrou a cabeça da estudante contra o chão e ela rolou dois lances de escada abaixo.

Eduardo disse ao juiz que a paquistanesa estava com a boca sangrando e que colocou a mão sobre a boca dela para ajudá-la. Os amigos dela contam que ele tentou evitar que Mehreen gritasse.

O brasileiro escreveu uma carta e relatou suas ações como desprezíveis e se mostrou arrependido.

Leia mais: Horóscopo: previsões de Susan Miller para os signos em agosto